Araguaína

Foto: Divulgação

Durante uma reunião realizada na tarde desta terça-feira, 17, na Secretaria Municipal da Saúde, ficou definido outro mutirão de combate ao mosquito Aedes Aegypti, em conjunto com o Exército Brasileiro para o próximo mês de fevereiro. Estiveram presentes no encontro, o secretário municipal da Saúde, Jean Luís Coutinho, o superintendente da Vigilância em Saúde, Eduardo Freitas, o tenente coronel Roberto Furtado Batista da 50ª Brigada de Infantaria de Selva de Imperatriz (MA); além de representante do Corpo de Bombeiros e da Secretaria de Planejamento, Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico.

O secretário Jean Luís Coutinho destacou a importância desta ação em parceria com o Exército. “É uma ação conjunta de vários segmentos que mostra o empenho de mantermos a nossa cidade livre das doenças causadas por esse mosquito. E o Exército mostra mais uma vez que ele é a mão amiga da nossa comunidade, trabalhando em conjunto com os nossos agentes, e levando aos araguainenses que esta guerra é de todos”, afirmou o secretário.

Para o tenente coronel Roberto Furtado Batista, Araguaína é uma cidade estratégica porque é polo na região do Bico do Papagaio. “Muitos municípios aqui do entorno tem essa dependência aqui no local. E o Exército busca exatamente nessa campanha mais uma vez sensibilizar e conscientizar a população”, declarou. “Estaremos atuando em parceria com a Secretaria de Saúde do Município, o Corpo de Bombeiros e acreditamos que o resultado, como foi ano passado, causará um impacto necessário à sociedade”, completou.

De acordo com TC Furtado, a previsão é de que em torno de 100 militares deverão atuar em conjunto com os agentes de endemia, nos bairros prioritários definidos pela Secretaria.

Ano passado

Em 2016, foi realizado uma ação conjunta com a Prefeitura de Araguaína e militares da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, de Marabá (PA), com o mesmo objetivo: o combate ao mosquito  Aedes Aegypti . Naquela ação, foram realizadas 2.756 visitas em residências e eliminados 67 focos do mosquito.

No balanço da Secretaria da Saúde – Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), além dos 2.756 imóveis visitados, 1.090 estavam fechados, sendo que destes 149 foram recuperados. As equipes encontraram nas residências 67 focos, também foram tratados com larvicida mais 160.