Educação

Foto: Elias Oliveira

A conscientização do cuidado permanente da sociedade para a erradicação dos criadouros do mosquito Aedes aegypti é fundamental para reduzir o número de casos registrados em todo o País. A Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) realiza nesta sexta-feira, 27, às 12h30, no hall da Pasta, o início de Mobilização no Combate ao Mosquito.

A programação conta com uma palestra para os servidores da Seduc, com foco na importância de combater o mosquito transmissor da dengue, da febre chikungunya e do vírus zika. 

Renata Ribeiro da Silva, bióloga em saúde, coordenadora adjunta da Sala Estadual de Combate ao Aedes, da Secretaria de Saúde, explicará sobre o relatório do sétimo ciclo dos casos registrados no Tocantins em 2016. Do Corpo de Bombeiros, capitão Marcelo Marinho Melo, coordenador da Sala de Controle, explanará sobre dados da doença, e o funcionamento da sala de controle.

Os servidores Dhanylho Laureano, da Gerência de Cultura, e Rosilene Martins, da Gerência de Projetos Educacionais da Seduc, apresentarão uma música autoral voltada para o tema.

De acordo com a secretária, professora Wanessa Sechim, para realizar este trabalho é preciso o envolvimento de todos. “No período chuvoso o risco de surtos ou epidemias aumenta. Por isso as ações intersetoriais são necessárias para o fortalecimento da prevenção e a eliminação dos focos existentes”, ressaltou.

Além dos métodos de prevenção, que serão ressaltados para a comunidade em todas as sextas-feiras, serão realizadas nas escolas, Diretorias Regionais de Educação (DRE) e anexos administrativos da Seduc o Dia “D” de Combate à Dengue com inspeções nos quintais, nos pátios, e também a distribuição de material informativo para erradicar o Aedes aegypti.

A Seduc concentrará esforços em diversas atividades para mobilizar a população tocantinense. Nas 515 unidades escolares do Estado serão desenvolvidas diversas ações permanentes voltadas para o tema, além de debates e palestras no âmbito escolar. O trabalho será realizado pelos profissionais da educação em parceria com as equipes das Secretarias de Saúde Estadual e municipais.

Dados

No Brasil, segundo dados do boletim epidemiológico do Ministério de Saúde, em 2016 foram registrados, até o dia 24 de dezembro, 1.496.282 possíveis casos de dengue, uma incidência de 731 casos a cada 100 mil habitantes. Já para a febre chikungunya foram 265.554, com média de 129,9 para os 100 mil habitantes e 104,8 casos para 100 mil habitantes, do zika, uma vez que foram registrados 214.193 casos. Destes, pelo menos 794 pessoas morreram com doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

No Tocantins, em 2016 foram notificadas 19.213 pessoas com dengue, em que foram confirmados 6.886, sendo 849 casos a menos que em 2015. Já com o zika foram confirmados 1.688 casos, e 6.164 notificações. 2.116 pessoas foram notificadas com chikungunyia, destes casos, 348 foram confirmados.