Estado

A Gerência do Núcleo de Inteligência do Departamento Estadual de Trânsito do Tocantins (Detran/TO) continua coibindo a transferência de veículos de origem ilícita de outros estados para o Tocantins, e no próprio Estado. O monitoramento constante em todos os setores do órgão está contribuindo para a redução no número de fraudes, bem como inibindo que pessoas ajam de má-fé.

Dessa forma, juntamente com a Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (Derfrva), que o Detran, na tarde dessa terça-feira, 21, colaborou para a desarticulação de uma organização criminosa, que revendia veículos furtados, no Estado.

A Inteligência do órgão verificou que três indivíduos tentavam realizar o processo de transferência de jurisdição (de um estado para outro) de veículos com ocorrência de furto. Percebendo o fato, a Inteligência comunicou a Derfrva, que já investigava a organização desde dezembro de 2016, para tomarem as medidas cabíveis. Os investigadores participaram efetivamente da ação, empreendendo diligência que resultaram na prisão dos envolvidos.

De acordo com a Derfrva, os três indivíduos também portavam diversos documentos falsificados, dentre eles RG, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e Certificados de Registros de Licenciamento de Veículos (CRLV). Os indivíduos foram autuados em flagrante e encaminhados para a Casa de Prisão Provisória e para a Unidade Prisional Feminina de Palmas.

Combate a fraudes

Por meio do Núcleo de Inteligência, o Detran Tocantins trabalha para combater qualquer tipo de fraude, golpe ou falsificação, por meio do monitoramento diário de todos os setores do órgão. As empresas credenciadas também são acompanhadas, para evitar desvios de conduta. Os investigadores também trabalham com o intuito de barrar pessoas com intenções criminosas de qualquer espécie.

Os casos mais constantes que a Inteligência do Detran tem apurado é o de falsidade ideológica, no caso das provas teóricas da Banca Examinadora. O candidato chegava a pagar para outra pessoa fazer a prova em seu lugar, inclusive falsificando a assinatura do verdadeiro candidato. Outro caso foi a tentativa de emissão de CNH utilizando documento falso. Todos os indivíduos que participaram das referidas ações foram identificados pelos investigadores e estão respondendo criminalmente.

Veículos clonados e adulteração de CRV, também estão na lista de crimes praticados por fraudadores. Outras diferentes situações estão sob investigação do setor de Inteligência.

A intenção dos investigadores é zerar ações criminosas dentro do órgão.    

Por: Redação

Tags: DERFRVA, Detran