Polí­tica

Foto: Miller Freitas Maria Vanir Ilídio foi exonerada do cargo de diretora de Direitos Humanos Maria Vanir Ilídio foi exonerada do cargo de diretora de Direitos Humanos

Servidores comissionados integrantes do Partido dos Trabalhadores (PT) foram exonerados de cargos nas secretarias de  Cidadania e Justiça; da Agricultura e Pecuária; e da Educação, Juventude e Esportes. As exonerações constam no Diário Oficial do Estado dessa quinta-feira, 16.

Maria Vanir Ilídio, exonerada do cargo de diretora de Direitos Humanos da Secretaria de  Cidadania e Justiça, disse nesta sexta-feira, 17, ter sido surpreendida com a publicação e afirmou se tratar de perseguição política, relacionada às eleições internas que serão realizadas para definir o comando do PT no Tocantins. “Eu vejo isso como perseguição e, pior ainda, vindo de dentro do próprio partido”, disse.

De acordo com a ex-diretora, todos os servidores exonerados compõem a chapa encabeçada pelo deputado estadual José Roberto Forzani, que tem tido uma postura crítica ao Governo do Estado na Assembleia Legislativa. Por sua vez, a Cidadania e Justiça é comandada pela também petista Gleidy Braga, que faria parte de um grupo opositor ao de José Roberto nas eleições internas da legenda.

“Eu fui pressionada pela secretária a participar da chapa dela, mas optei por não entrar em nenhuma chapa na eleição para presidência estadual. Decidi que entraria apenas na chapa para a eleição municipal”, disse Vanir, acrescentando que a chapa que compõe em nível municipal também é ligada ao grupo de Zé Roberto.

Direitos Humanos

Vanir Ilídio se disse preocupada com o desmonte do setor de Direitos Humanos na administração estadual. Segundo ela, em novembro do ano passado foram exonerados servidores que ocupavam cargos de gerencia, o que já representava desfalque para a condução dos trabalhos. Agora, cresce o impacto coma exoneração da direção. Ainda segundo ela, o Conselho de Direitos Humanos se reunirá na tarde desta sexta-feira para elaborar um documento pedindo ao Governo mais atenção à política de direitos humanos no Estado.

O outro lado

O Conexão Tocantins entrou em contato com a secretária Gleidy Braga, mas ela optou por não se manifestar sobre o assunto.