Polí­tica

Foto: Divulgação

Após a deputada estadual Amália Santana (PT), criticar a aprovação do Projeto de Lei que regulamenta a terceirização e o trabalho temporário no País, o deputado José Roberto Forzani (PT) também posicionou-se, afirmando que a medida acaba com os direitos do trabalhador brasileiro. "Acabou todos os direitos trabalhistas no nosso País. Não mais existirá décimo terceiro, férias, não existe mais férias no nosso País. Não existe mais nenhum seguro, nenhuma garantia constitucional. Não existe mais aviso prévio e vai acabar a previdência", criticou na tribuna da Assembleia Legislativa do Tocantins. 

Forzani assumiu o papel de denunciar todos os parlamentares do Tocantins. "E vou andar no Estado inteiro dizendo os cinco deputados que votaram a favor desse crime contra os trabalhadores e vou começar hoje. Quem votou, do Tocantins, a favor desse crime, vou andar o Estado inteiro falando que foi o deputado (Carlos) Gaguim, foi o César Halum, foi o Irajá Abreu, o Lázaro Botelho e o Vicentinho Júnior. Esses cinco deputados massacraram o povo trabalhador desse País. A deputada Josi e a deputada Dorinha votaram contra e a deputada Dulce não estava presente para votar", informou. 

O deputando não economizou nas críticas ao governo Michel Temer (PMDB) que, segundo Forzani, recebe proteção da mídia e do empresariado. "Evidentemente que essas mudanças propostas pelo usurpador, pelo governo golpista do Michel Temer, elas só estão sendo feitas exatamente por causa do golpe. Jamais nenhum brasileiro iria eleger um governo que se propõe a fazer o que esse governo está fazendo, jamais! Por isso que essas mudanças só são possíveis através do golpe, sob a proteção da mídia, do empresariado, da gangue que se instalou no Congresso Nacional e no Governo”, afirmou. 

Ainda de acordo com José Roberto, com a aprovação da nova lei, não haverá mais concursos e o trabalhador será massacrado. “Vai massacrar o nosso povo. A terceirização também autoriza a entrar no serviço público. Não mais terá concurso, ninguém mais vai ser concursado, vai ser tudo terceirizado", criticou. Forzani adicionou que quando o trabalhador é terceirizado ganha quase a metade do que deveria receber em salário e está mais suscetível aos acidentes de trabalho. "Ganha quase metade do salário e está mais de 90% dos acidentes de trabalho nos terceirizados e isso alguém vem defender?!", criticou, referindo-se ao deputado Osires Damaso que defendeu a terceirização. Para Damaso, a aprovação representa um ganho para o País.

Forzani chegou a chamar o governo de Michel Temer de bandido. "É só um governo formado por bandido igual esse governo do Michel Temer que faz o que está fazendo. Por isso que tem que ser fora Temer e volta Lula (ex-presidente)", disse. Segundo o deputado, é inadmissível o que está sendo feito no País. "O Temer está trazendo o País para a época da escravatura", disse.