Polí­cia

Foto: Divulgação

A aeronave do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER) realizou, na tarde dessa sexta-feira, 24, a remoção aeromédica de um paciente internado no Hospital Regional de Porto Nacional, para o Hospital Geral de Palmas (HGP).

A equipe do helicóptero esquilo B3 da SSP, foi acionada pelo Samu e decolou, às 13h45min com destino a Porto Nacional, levando a bordo um médico, um enfermeiro do Samu, além de um tripulante operacional, a fim de efetuar a remoção de um paciente de 66 anos, o qual havia sofrido um Acidente Vascular Cerebral, o qual estava entubado e estabilizado, mas precisava ser transportado imediatamente para o hospital da Capital.  

Desta maneira, a aeronave pousou em um campo de futebol, o qual fica atrás do HRPN, e de imediato, o paciente foi embarcado e trazido para Palmas, onde o Helicóptero pousou, no HGP, aproximadamente uma hora de depois e entregou o paciente aos cuidados da equipe multidiciplinar daquela Unidade de Saúde para a realização dos procedimentos necessários.

Identificação de invasor de residência.

Poucos minutos após, a equipe multimissão do Tocantins 01 foi acionada, via Siop, para prestar auxílio às forças policiais de solo na busca por um indivíduo suspeito de invadir uma residência, localizada na Quadra 704 Sul.

A aeronave decolou novamente e passou a realizar sobrevoos de reconhecimento, nas imediações da referida quadra, sendo que em determinado momento, a equipe do Ciopaer avistou um suspeito se evadindo, em uma motocicleta, utilizando os chamados “gatos”, da Quadra a fim de evitar as viaturas da Polícia.

Os tripulantes do helicóptero informaram a localização do indivíduo que, desta maneira, foi abordado e conduzido à Delegacia para prestar esclarecimentos sobre a invasão da residência. No entanto, como não estava de posse de nenhum objeto subtraído e a proprietária do imóvel, apesar de reconhecer o invasor, optou por não representar contra o mesmo, o homem foi liberado, mas teve a motocicleta apreendida, devido a fato de o veículo estar com o licenciamento vencido.

No primeiro caso, ressalta-se que a pronta resposta da equipe do Ciopaer fez com que o paciente, vítima de AVC pudesse receber o atendimento médico especializado de que precisava, em um curto espaço de tempo, aumentando suas chances de sobrevivência.

Na segunda ocorrência, a capacidade e versatilidade da aeronave do Ciopaer foi de fundamental importância para a localização do suspeito, fazendo com que o mesmo fosse interceptado e dissuadido de praticar potenciais ações criminosas.