Saúde

Foto: Divulgação

A turismóloga Priscila Marinho celebrou a escolha do tema “depressão” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que será trabalhado no Dia Mundial da Saúde, comemorado nesta próxima sexta-feira, 7. “Fiquei muito feliz ao saber que esse tema seria tratado. Às vezes as pessoas querem muito falar sobre a vida delas, sobre os problemas e as angústias, mas têm vergonha porque existe o julgamento da sociedade. Há um ditado que diz que ninguém gosta de gente depressiva, e isso causa medo. As pessoas, às vezes, passam por muitos problemas sozinhas, não tem com quem e nem para quem contar, e por isso acabam entrando num quadro de tristeza profunda”, disse.  

Priscila viveu um drama na adolescência, quando se deparou com crise depressiva após o rompimento de um relacionamento que culminou com a primeira, de duas tentativas de suicídio ao longo da vida, além de episódios de depressão pós-parto e crises de transtorno bipolar.   De acordo com ela, o tema pode despertar uma vontade maior das pessoas falarem sobre o assunto. “Assim, podemos ter menos acidentes relacionados a saúde mental, porque a depressão não surge em um dia, há um histórico. A pessoa acha que ninguém tem um problema maior que ela, mas na verdade são milhões de pessoas que vivem essa angústia no mundo todo”, pontuou.   

Para ela, o relacionamento familiar saudável é muito importante e proporciona segurança. “As pessoas estão ligadas em outro mundo, é o trabalho que toma muito tempo, a tecnologia que distrai, poucas pessoas sentam a mesa para conversar em família. O círculo de amizades também é de extrema importância, as pessoas devem procurar amigos que acrescentem e não fazer amizades por modismo da sociedade”. 

A campanha

Com slogan 'Vamos conversar?, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou campanha para falar sobre depressão com todas as pessoas, independentemente da idade, sexo ou condição social que são afetadas por esse transtorno mental em todos os países. Em especial há três grupos afetados pela doença: jovens com idades entre 15 a 24 anos, mulheres em idade fértil (especialmente após o nascimento de uma criança) e idosos. 

A gerente da Atenção Psicossocial da Secretaria de Estado da Saúde, Maria de Fátima Vieira, disse que a depressão é uma das doenças mentais que mais crescem no mundo. “Em 2015, eram 322 milhões de pessoas com depressão”, disse ela, citando dados da OMS. 

Ainda segundo a gerente, a depressão se caracteriza pela tristeza persistente e perda de interesse em atividades do dia a dia. “Por isso fazemos um alerta: a depressão não tratada pode impedir a pessoa afetada de trabalhar e participar na vida familiar e comunitária. Perda de energia, necessidade de dormir mais ou menos do que o habitual, ansiedade, sentimentos de culpa. Pensamentos de autoagressão e suicídio são outros sintomas”, informou. 

A gerente lembra ainda que o foco da campanha é falar sobre depressão como um componente vital de cura. “O estigma da doença mental, incluindo depressão, continua a ser um obstáculo para as pessoas pedirem ajuda. Falar de depressão com um membro da família, amigo ou profissional de saúde ajuda a eliminar esse estigma e a aumentar o número de pessoas que buscam tratamento”, destacou.

Prevenção

Para a gerente, uma forma de prevenção é o cuidado com a saúde emocional. “O que está acontecendo com nossas emoções? As práticas saudáveis da saúde emocional passam pelo viés de você cultivar as emoções positivas” disse, acrescentando que deixou algumas dicas como forma de prevenção “as pessoas precisam educar suas emoções, falar com outras pessoas, cultivar pensamentos positivos, focar nas soluções e não nos problemas, exercitar a gratidão, fortalecer os laços afetivos, aprender algo novo” destacou 

A gerente informou ainda que o Sistema Único de Saúde (SUS) garante atendimento para as pessoas que passam por problemas emocionais. “Qualquer pessoa pode procurar uma Unidade Básica de Saúde que será acolhido e encaminhado para a atenção especializada, para os Centros de Atenção Psicossocial (Caps) ou terapia medicamentosa”, informou. 

Programação

A Secretaria de Estado da Saúde ressalta a importância se debater a saúde emocional com vistas à promoção de reflexões e atividades em torno do tema que fortalece o cidadão no diagnóstico e enfrentamento dos transtornos mentais, entre eles a depressão. Por isso, a Saúde está promovendo a semana do “Vamos Conversar”, com o tema Saúde Emocional – Depressão em Evidência. As atividades acontecem no período de 07 a 14 de abril.

O lançamento da semana acontece na sede da Secretaria de Saúde, em Palmas, nesta sexta-feira,7, com a seguinte programação:

9h – Abertura com Ginástica Laboral – As atividades físicas são uma das melhores formas de promoção da saúde e enfrentamento da depressão;

14h – Roda de conversa sobre Saúde Emocional e Depressão – Psicóloga Aray de Jesus Rodrigues Fernandes;

Na Escola Tocantinense do SUS será realizado café com alimentos saudáveis no período da tarde e sessão de cinema com o filme Divertidamente.

Para todas as unidades de saúde do Estado está sendo recomendado:

- Atividades sócio-recreativas-desportivas, tais como: exibição de filmes, caminhadas, abraços simbólicos em torno das unidades de saúde, ginástica laboral, palestras sobre o tema ou alternativas para superação da depressão, entre outras;

- Rodas de conversa observando que os facilitadores da roda de conversa deverão estar sensíveis aos possíveis servidores que estejam passando por depressão e por isso o discurso da roda poderá tender a ficar negativo e neste caso, cabe ao facilitador positivar a situação, sem negar a dor do colega, mas dar lhe esperanças. Para tal, eis algumas sugestões:

•          Contar algum caso de superação;

•          Finalizar as discussões com um texto reflexivo e que traga alento aos corações;

•          Finalizar com música que denote alegria e esperança;

•          Alguma dinâmica que incentive a enfrentar a situação ou busca de apoio;