Estado

Foto: Divulgação

Em nota oficial encaminhada à imprensa nesta quinta-feira, 18, a Ordem dos Advogados do Brasil no Tocantins (OAB/TO), informa considerar a situação do presidente Michel Temer insustentável, caso os fatos relatados pelo jornal O Globo sejam verdadeiros. Reportagem do Globo revelou que o presidente Michel Temer deu aval para comprar o silêncio de Eduardo Cunha. 

Segundo a Ordem, se confirmarem as notícias, o presidente da República tem que renunciar imediatamente para que o Brasil possa sair da crise.

Para a Diretoria da OAB-TO, o Supremo Tribunal Federal (STF) e a Procuradoria Geral da República (PGR) têm que divulgar os áudios da delação premiada dos proprietários da JBS, imediatamente. "Fatos tão graves como esses não podem ficar sem o conhecimento total dos brasileiros", defende. 

A OAB-TO informou que estará em breve convocando seu Conselho Seccional para referendar posicionamento. "A OAB-TO espera que a saída para essa gravíssima crise seja balizada na Constituição e estará em breve convocando seu Conselho Seccional em caráter extraordinário para referendar ou não este posicionamento e definir os encaminhamentos necessários".