Estado

Foto: Divulgação Palestra na Aldeia Apinajé, em Tocantinópolis Palestra na Aldeia Apinajé, em Tocantinópolis

Com o objetivo de promover atendimentos para as Mulheres do Campo, da Floresta e das Águas, especialmente nos municípios com menos recursos públicos, a Unidade Móvel de Atendimento à Mulher está, desde o dia 22 até o dia 01 de junho, em comunidades indígenas do Estado. A ação da Secretaria da Cidadania e Justiça (Seciju), em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), da Presidência da República, está contemplando comunidades norte à sul do Estado, localizadas nos municípios de Tocantinópolis, Santa Fé do Araguaia, Goiatins, Itacajá e Tocantínia.

As unidades móveis levam atendimento individual com advogadas, assistentes sociais e psicólogas para mulheres em situação de violência, além de promover rodas de conversas, orientação sobre os direitos e oficinas de inclusão produtiva para possibilitar uma renda mensal para elas e suas famílias.

Desta vez, em todas as comunidades visitadas, haverá apresentação da equipe técnica, palestras sobre Direito das Mulheres, com a Tayana Cordeiro Ayres, e sobre Ações da Política sobre Drogas, com a palestrante Célia Pereira da Mata. Ainda haverá informativos sobre o uso de preservativos e testes rápidos de saúde.

Além de atender juridicamente mulheres em situação de violência doméstica e familiar, são oferecidos cursos de artesanato que as incentivam a produzirem, manualmente, peças bonitas e significativas para vendê-las e conseguir o seu próprio sustento.

Segundo a diretora de Políticas para as Mulheres da Seciju, Ana Maria Guedes, a ação é direcionada, principalmente, para mulheres com mais dificuldades de acesso. “As unidades vão aonde tiver menos acesso a políticas públicas para as mulheres da floresta, do campo e das águas, que muitas vezes são expostas a situações de violência e não conseguem enxergar outro meio de viver”, disse.

Ação

As Unidades Móveis, disponibilizadas ao Estado pelo Pacto Nacional pelo Enfrentamento da Violência contra as Mulheres, seguem o cumprimento do calendário de ações constituído pelo Fórum do Campo, Floresta e das Águas, para facilitar o acesso ao atendimento e orientações às comunidades, assentamentos, quebradeiras de coco, zona rural, indígenas, quilombolas e ribeirinhas.

Desde que começaram a funcionar, em 22 de janeiro de 2015, as unidades já percorreram o Estado de norte a sul, durante todo esse período. Elas passam por cada comunidade mais de uma vez, após percorrer por todos os outros municípios da programação, gerando, assim, mais resultados com a ação.

De 2015 até agora, as unidades já passaram por cerca de 100 municípios de Norte a Sul do Tocantins e atenderam mais de 1.500 mulheres em situação de violência, seja física, sexual, moral, psicológica, patrimonial, entre outras. Atualmente, em média, 50 mulheres recebem atendimento em cada comunidade e às vezes é até mais.

Agenda

23/05: Tocantinópolis - Tribo indígena Apinajés/Aldeia São José

25/05: Santa Fé do Araguaia- Tribo indígena Rayla Tamará Caraja – Xambioás

27/05: Goiatins- Tribo indígena Rio Vermelho –Krahôs

29/05:Itacajá- Tribo indígena Santa Cruz – Krahôs

31/05: Tocantínia - Tribo indígena Porteira – Xerentes