Saúde

Foto: Divulgação

Para garantir o atendimento às mulheres do campo, da floresta e das águas, principalmente em municípios que estão em vulnerabilidade socioeconômica no Estado, a Unidade Móvel de Atendimento à Mulher tem realizado acolhimentos, desde o último dia 19, se estendendo até o próximo dia 27 de junho, em comunidades quilombolas do Tocantins. O trabalho é executado pela Secretaria Estadual da Cidadania e Justiça (Seciju), em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), da Presidência da República. Durante esse período, a ação percorre os municípios de Arraias, Conceição do Tocantins, Natividade, Chapada de Natividade, Porto Alegre, Almas e Santa Rosa.

As unidades móveis possibilitam o atendimento individual com advogadas, assistentes sociais e psicólogas a mulheres em situação de violência e promovem rodas de conversas, orientação sobre os direitos e oficinas de artesanato para proporcionar renda a elas e seus familiares.

Nesta edição, em todos os locais percorridos, haverá também a apresentação de uma equipe multidisciplinar; palestras sobre os Direito das Mulheres e as Ações da Política sobre Drogas, ministradas por Eliene Madureira, pedagoga e coordenadora do projeto; uma roda de conversa sobre os desafios e as conquistas dos Direitos da Mulher em situação de violência e, ainda, uma palestra sobre a Reforma da Previdência, com a assistente social, Ione Bernardo. Também serão distribuídos informativos sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST’s), Anemia Falciforme e aplicação de testes rápidos, com a enfermeira Daiane Faria Valverde e a auxiliar de enfermagem Márcia Pereira.

Além dos atendimentos jurídicos e psicológicos, são ofertadas oficinas de artesanato para geração de renda, com Eliene dos Santos Madureira e a pedagoga Domingas Cardoso, oportunidade para que as mulheres possam ter sua própria renda, a partir da fabricação manual de peças artesanais.

Para a diretora de Políticas para as Mulheres da Seciju, Ana Maria Guedes, a ação é direcionada, especialmente, para mulheres com mais dificuldades de acesso a serviços especializados. “As unidades vão onde tiver menos acesso a políticas públicas para as mulheres da floresta, do campo e das águas, que muitas vezes são expostas a situações de violência e não conseguem enxergar outro meio de viver. Queremos, sobretudo, empoderar essas mulheres”, ressalta.

Ação

As Unidades Móveis, disponibilizadas ao Estado pelo Pacto Nacional pelo Enfrentamento da Violência contra as Mulheres, seguem o cumprimento do calendário de ações constituído pelo Fórum do Campo, da Floresta e das Águas, para facilitar o acesso ao atendimento e orientaras comunidades, assentamentos, quebradeiras de coco, zona rural, indígenas, quilombolas e ribeirinhas.

Desde que começaram a funcionar, em 22 de janeiro de 2015, as unidades já percorreram o Tocantins de norte a sul, passando por cada comunidade mais de uma vez e percorrendo todos os outros municípios da programação, gerando, assim, mais resultados.

De 2015 até agora, as unidades já passaram por cerca de 100 municípios do Estado e atenderam mais de 1.500 mulheres em situação de violência, seja física, sexual, moral, psicológica, patrimonial, entre outras.

Cronograma

19/06: Arraias – Comunidade Kalungas

21/06: Conceição do Tocantins – Comunidade Água Branca

23/06: Natividade – Comunidade Redenção

24/06: Porto Alegre – Comunidade Lajinha e São Joaquim

25/06: Almas – Comunidade Baião

26/06: Chapada de Natividade – Comunidade Chapada de Natividade

27/06: Santa Rosa – Comunidade Morro de São João