Esporte

Foto: Divulgação
  • Primeiro regulamento, com premiações diferentes
  • Regulamento atualizado, com valores equiparados

Outra polêmica envolve a Corrida dos Namorados prevista para acontecer dia 10 de junho na Capital/TO, patrocinada pelo Palmas Shopping. Até a manhã desta terça-feira, 30, o regulamento do evento esportivo trazia valores diferentes no quesito premiação aos casais heteroafetivos e homoafetivos, com uma discrepância de R$ 250 aos vencedores. 

Ao 1° lugar da categoria casal heteroafetivo o valor da premiação, de acordo com regulamento, seria de R$ 500 e ao 1° lugar na categoria casal homoafetivo, R$ 250. Ao casal hétero vencedor do 2° lugar, a premiação seria de R$ 400 e de R$ 250 ao casal homoafetivo campeão da mesma categoria. 

A diferença no valor das premiações, de acordo com a sexualidade dos participantes, causou críticas nas redes sociais. Defensor dos direitos LGBTs, o estudante Luiz Filho disse não haver justificativa plausível para tal diferença e criticou o Palmas Shopping por diminuir os casais homoafetivos. "Eu fiquei bem assustado quando vi o regulamento com essa diferença na premiação. Não existe uma justificativa plausível para atitude. Me passou uma certeza de que para o Palmas Shopping um casal homoafetivo, é menor que um casal hétero. Porém, quando vamos ao shopping, na hora de pagar estacionamento, de pagar pelo cinema, de almoçar independente de sermos LGBTs ou não, pagamos os mesmo valor. Isso é a prova da falta de valores do shopping, que só abraça a um grupo seleto, e não a todos", lamentou.

Outras pessoas mostraram indignação nas redes sociais. "Discriminar é a ferramenta do sistema para semear o narcisismo das pequenas diferenças podendo assim manipular os "pequenos" grupos jogando uns contra os outros, criando depois identificação entre eles tornando uma metade, assim funciona esse nosso sistema", e "Que Nojo!", estão entre os comentários. 

Premiação Equiparada

Por volta das 10 horas, o regulamento sofreu modificação, sendo equiparada as premiações. Com a mudança, tanto o casal hétero quanto o homoafetivo, vencedores da corrida, devem receber o prêmio de R$ 500 e os vencedores do 2° lugar, a quantia de R$ 400. 

Ao Conexão Tocantins, a assessoria de imprensa do shopping explicou o porquê da diferença de valores nas premiações. "Nosso regulamento de maneira alguma é para discriminar, tanto é que no Brasil somos a única corrida que tem uma categoria específica para casais homoafetivos tanto masculino quanto feminino e se pegar outras corridas de namorados a nível de Brasil nenhuma trabalha com essa categoria pra trazer esse maior benefício ao mesmo", informou a assessoria. 

Ainda de acordo com a assessoria de imprensa do Palmas Shopping, dentro das corridas os casais heteroafetivos e homoafetivos apresentam diferenças biológicas. "E por isso nós criamos essa categoria para trazê-los também para a nossa corrida dos namorados. Com relação a premiação, usamos o princípio de proporcionalidade numérica. Desta forma, como temos um número menor de inscritos de casais homoafetivos tanto masculino quanto feminino, a categoria deles, nesse caso, premiaria somente o primeiro lugar. O que fizemos agora: já até lançamos a alteração no nosso regulamento para deixar isso de forma mais clara, lançamos o que significa essa proporcionalidade, explicamos no item 2.3.2. Premiaremos também, tendo o número de inscritos suficientes, do 1° ao 5° lugar os casais homoafetivos masculino e feminino da mesma forma que estamos premiados os heteroafetivos", explicou a assessoria. 

Proporcionalidade seguindo o número de inscritos, de acordo com regulamento: 

2.3.2. Por questões de proporcionalidade, na categoria Casal, tanto hétero como homoafetivo, a premiação se dará da seguinte forma:

a) Somente 1º lugar, caso haja de 1 a 50 inscritos;

b) De 1º a 3º lugar, caso haja de 51 a 100 inscritos;

c) De 1º a 5º lugar, caso haja mais de 100 inscritos.

Outra polêmica

No mês passado, outra polêmica envolveu a Corrida dos Namorados. Para o presidente do Sindicato dos Profissionais em Educação Física no Tocantins (Sinpef-TO), Luciano Lucas, a vinda da dançarina Scheila Carvalho, contratada para o evento, para supostamente orientar o aquecimento dos participantes seria desnecessária levando-se em conta que a mesma não é habilitada na área e que há, segundo o presidente, profissionais capacitados no Estado.

Para Luciano Lucas, mesmo que Scheila tivesse habilitação para tanto, é preciso valorizar os profissionais do Estado.