Polí­cia

Foto: Divulgação

A família de Eduardo Pereira (o Duda Pereira), acusado de ser o mandante da morte do também empresário Wenceslau Leobas (o Vencim), encaminhou nota à imprensa reafirmando inocência do empresário e alegando que a família Leobas tenta sensibilizar a opinião pública, numa insistente e inexplicável cruzada contra um inocente.

Na última semana, a família de de Vencim posicionou-se sobre julgamento e negou ameaçar Duda. A família de Duda Pereira, por sua vez, afirma vir recebendo ameaças e acusações. "Ao contrário do que diz a nota publicada pela Família Leobas, a família Batista Pereira vem, sim, recebendo inúmeras ameaças e acusações conforme registrado em Boletim de Ocorrência". 

A família do empresário Eduardo informa que o isolamento dele não se dá por outra razão, senão a de preservar sua incolumidade física. "Uma vez que a sua segurança não foi sequer garantida pelo secretário de Segurança Pública do Estado do Tocantins, que já se manifestou por meio de documento escrito, conforme divulgado pelos meios de comunicação". 

A família Pereira diz que Duda foi vítima de uma "grande e espúria armação". Confira abaixo a nota na íntegra.

Nota

Consternada com os injustos ataques promovidos pela Família Leobas, a Família Batista Pereira, por meio do seu patriarca, reafirma a inocência do seu filho, Duda Pereira, e vem a público prestar esclarecimentos sobre as calúnias e difamações que estão sendo perpetradas nos meios de comunicação, o que nos obriga a respondê-las, embora preferíssemos que esse triste episódio se restringisse apenas e tão-somente ao Judiciário, que é a seara legítima. Contudo, infelizmente, a Família Leobas tem se utilizado de todos os recursos midiáticos para tentar sensibilizar a opinião pública, numa insistente e inexplicável cruzada contra um inocente.

Diferentemente do que a Família Leobas divulgou, na última sexta-feira, 16 de junho de 2017, o Desembargador Ronaldo Eurípedes, do TJ-TO, determinou o adiamento do julgamento do habeas corpus e não acatou o pedido de sustentação oral do advogado assistente da acusação pelo simples fato de não haver, em nosso ordenamento jurídico, tal previsão.

Importante esclarecer, ainda, que Duda Pereira e sua família jamais tiveram qualquer atrito dessa natureza com quaisquer pessoas durante os mais de 40 anos em que vivem no Estado do Tocantins, os quais foram e continuam sendo dedicados ao trabalho, contribuindo sobremaneira com o crescimento da economia local. E essa também sempre foi a postura da família perante o Sr. Wensceslau Leobas, cuja relação se manteve dentro dos naturais limites inerentes ao campo comercial, relação essa que perdurou por mais de 20 anos sem nenhum registro digno de referência.

Ao contrário do que diz a nota publicada pela Família Leobas, a Família Batista Pereira vem, sim, recebendo inúmeras ameaças e acusações conforme registrado em Boletim de Ocorrência. O isolamento de Duda Pereira não se dá por outra razão, senão a de preservar sua incolumidade física, uma vez que a sua segurança não foi sequer garantida pelo Secretário de Segurança Pública do Estado do Tocantins, que já se manifestou por meio de documento escrito, conforme divulgado pelos meios de comunicação.

Reafirmamos novamente que Duda Pereira vem sendo acusado indevidamente pelo representante do Ministério Público, que, no afã de acusar a qualquer custo, levanta sua mão acusatória com base apenas em frágeis e falsas declarações da família da vítima que, sem nenhuma prova e fundamento, comete uma grande e irreparável injustiça, esquecendo-se de que existem pessoas cujos sentimentos estão sendo sistematicamente vilipendiados. A Família Batista Pereira, em especial o próprio Duda, enfrenta um difícil momento ao ver o seu nome achincalhado diariamente, num exercício obsessivo e calunioso.   

Duda Pereira foi vítima de uma grande e espúria armação. Contudo, começa a verdade a aparecer quando o Ministério Público de Cúpula, em irrepreensível parecer emitido em sede de habeas corpus, reconhece que não há qualquer prova de sua participação no episódio que culminou com a morte do Sr. Wenceslau.

A mais interessada no esclarecimento dos fatos é a própria Família Batista Pereira, pois somente dessa maneira se verá livre de tamanha e hedionda injustiça, que nos últimos meses tem sido cometida pela Família Leobas por meio de todos os palcos midiáticos.   

Registre-se, também, que a prisão preventiva já foi negada duas vezes em outras oportunidades, por absoluta falta de provas. E como bem observou o Ministério Público de Segunda Instância, tais provas são inexistentes.

Ao contrário do que afirma a Família Leobas, em sua nota, todos da cidade de Porto Nacional e região sabem que o Sr. Wensceslau Leobas mantinha atritos e entreveros diversos com inúmeras pessoas, existindo, inclusive, acusações de crimes de mando e processos de investigação contra ele, processos estes que estão inexplicavelmente paralisados e sob a posse do Delegado de Polícia Civil Hudson Guimarães e do Promotor de Justiça Abel Andrade há mais de cinco anos, os mesmos agentes públicos que protagonizam de forma veemente as injustas acusações contra Duda Pereira.

Gostaríamos muito de saber por qual razão a Família Leobas investe, de forma agressiva e insistente, contra a pessoa de Duda Pereira, principalmente por sabermos que o universo de inimizades da vítima era vasto e de conhecimento público. Haveria algum receio de que outras pessoas viessem a ser investigadas?  

Esperamos que a Justiça seja feita pela revelação da verdade.

João Batista Pereira e Família.