Palmas

Foto: Antônio Gonçalves

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Palmas/TO (Sisemp) repudiou a publicação da nova composição do Conselho Municipal de Previdência (CMP), divulgada no Diário Oficial Nº 1783, desta última terça-feira, 27, que excluiu o nome do analista jurídico, Antônio Crhysippo Aguiar, indicado pelo Sisemp para ocupar uma das vagas referentes a representantes dos servidores.

O presidente do Sisemp, Heguel Albuquerque, informou que indicou dois nomes para compor o CMP, sendo eles, os analistas jurídicos Antônio Crhysippo e Affonso Celso Melo, uma vez que ambos possuem grande conhecimento da Lei Previdenciária e já eram atuantes no Conselho. Entretanto a Gestão Municipal desconsiderou que o Sisemp é o Sindicato de maior base municipal, tendo legitimidade para representar todos os servidores municipais, e delegou ao Sindicato apenas uma vaga de suplente.

"É de conhecimento público que o Sisemp, através de sua diretoria e do conselheiro Crhysippo, tem atuado de forma combativa e questionadora em relação à gestão do Previpalmas", enfatiza o sindicato. 

Crhysippo, com apoio do Sisemp, é o autor de pedido de auditoria no Previpalmas, esta aprovada pelo CMP, além, de em diversas vezes, ter denunciado irregularidades na gestão deste Instituto ao Ministério Público Estadual e a veículos de imprensa. Já o Sisemp, além de acompanhar os trâmites da gestão do Instituto, em muitas ocasiões foi crítico às decisões tomadas pela presidência deste.

Desta forma o Sisemp entende que há um interesse da Gestão Municipal em  cercear a participação do Sindicato que mais atua na fiscalização do Previpalmas, caso contrário teria nomeado seus indicados.

Segundo o Sisemp, a fiscalização e o controle da gestão do Previpalmas é fundamental para manter sua liquidez, uma vez que temos como exemplo o Instituto de Gestão Previdenciária do Tocantins (Igeprev), que sem a devida fiscalização, teve seus recursos mal aplicados e desviados, como é de conhecimento público.