Polí­tica

Foto: Divulgação Márcia Barbosa é a vice-presidente do PT Tocantins Márcia Barbosa é a vice-presidente do PT Tocantins

Para o diretório estadual do Partido dos Trabalhadores do Tocantins o juiz Sérgio Moro "usa um peso e duas medidas" quando trata-se de julgamentos relacionados a representantes do partido, em especial, ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - condenado nesta quarta-feira, 12, a nove anos e seis meses de detenção por corrupção e lavagem de dinheiro.

De acordo com a vice-presidente do PT Tocantins, Márcia Barbosa, o ex-presidente Lula sofre condenação por suposta corrupção, sem apresentação de provas. "Uma condenação sem provas e isso nos entristece muito porque é um peso e duas medidas. Enquanto eles absolvem pessoas de outros partidos políticos, com provas robustas, de corrupção comprovada, ao mesmo tempo eles condenam uma pessoa sem provas que justifiquem, que comprovem a denúncia. Ele está sendo condenado por uma suposta corrupção. Não existe nada que comprove que o tríplex seja dele. Não tem documento, não tem nada que prove, mas existe uma suspeita, uma convicção de que esse imóvel foi dado a ele", afirmou em entrevista ao Conexão Tocantins

Para Márcia Barbosa, uma parcela da população brasileira - a elite - não admite que um simples trabalhador tenha chegado à Presidência da República. O modelo de governo do ex-presidente também não é aceitável por essa elite, segundo Márcia, devido a melhoria na condição de vida dos mais pobres. "O plano de governo do presidente Lula provou que era possível governar para todos e existe uma elite raivosa que não admite isso. Não admite que o trabalhador adentre nas universidades, que o trabalhador tenha acesso a viagens aéreas, que tenha direito a férias, tanto é que o Governo que está aí acaba de fazer um ataque a CLT, contra os direitos trabalhistas conquistados ao longo dos anos e tudo que essa elite quer é que o modelo de gestão do PT seja esquecido e que volte o modelo excludente, onde os ricos conseguem ficar cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres e sem direitos, subjugados a prestar obediência e serviço a classe A. Essa é a minha visão e a visão de grande parte dos militantes do Partido dos Trabalhadores", afirmou. 

Segundo Márcia, o sentimento do diretório é de indignação, mas acredita-se que a defesa do ex-presidente conseguirá reverter. "Quando se trata de juiz Sério Moro, ela tem lado sim, nós sabemos que tem. É o lado de quem está no poder hoje, é uma necessidade, uma vontade de colocar a culpa de todas as falhas que aconteceram no Brasil até hoje nos gestores do PT, e mais especificamente na figura do ex-presidente Lula. A defesa dele (Lula) entrará com os recursos necessários e ele e os militantes do partido vão lutar até o fim contra essa condenação, porque ela é uma condenação que não se justifica", frisou. 

Verde Amarelo/ Panelas 

Para a vice-presidente do PT Tocantins, Márcia Barbosa, os brasileiros que foram às ruas, que pintaram o rosto de amarelo e que bateram panela, se esconderam atrás de uma falsa ideologia - contra a corrupção. Porém, segundo a representante, a corrupção está às claras no País e não é combatida. "Pelo contrário, está sendo alimentada. Olha agora lá no Congresso Nacional a quantidade de emendas liberadas para os deputados federais e senadores votarem a favor da reforma e contra a autorização para que o presidente seja investigado. A uma inversão de valores, na prática estão alimentando o sistema", disse. 

Eleições 2018 

Segundo Márcia Barbosa, a condenação do ex-presidente Lula é mais uma tentativa de inviabilizar sua possível candidatura à presidência em 2018. "Mas vamos resistir e confiamos que a defesa do presidente Lula possa reverter isso, provar sua inocência", arrematou a vice-presidente petista. 

O presidente do PT Tocantins é o deputado estadual José Roberto Forzani, que está em viagem.