Polí­tica

Foto: Divulgação

Foi aprovado nessa quarta-feira, 16, na Comissão de Educação da Câmara Federal, o parecer da deputada federal Josi Nunes (PMDB/TO) sobre o Projeto de Lei 5274/16, que cria a Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT) por desmembramento de campus da Universidade Federal do Tocantins (UFT). “A iniciativa de criar a Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT), por desmembramento de campus da Universidade Federal do Tocantins (UFT), com sede e foro no município de Araguaína e campus também em Tocantinópolis, uni-se com a política de expansão e interiorização da rede pública de educação superior fomentada na última década. A expansão em direção ao interior contribuirá para a inclusão social e econômica da mesorregião do Bico do Papagaio e entorno”, justificou Josi em seu relatório.

Em seu parecer, a parlamentar citou o Seminário “Universidade Federal do Norte de Tocantins, desafios atuais e perspectivas futuras”, realizado pela Comissão de Educação, em abril deste ano, no campus da UFT do Município de Tocantinópolis. Na ocasião, autoridades e representantes de instituições locais e de organizações ligadas à educação, além de estudantes e professores declararam um forte apoio ao desmembramento da UFT e à criação da UFNT com campi em Araguaína e Tocantinópolis.

“Esses dois municípios mostraram-se muito engajados e comprometidos um com o outro na defesa de uma instituição de educação superior federal, autônoma, para garantir uma educação pública, gratuita e de qualidade para a mesorregião do Bico do Papagaio, no Norte do Tocantins, e entorno. Segundo as apresentações, nos últimos anos houve grande expansão nos campi da UFT em Araguaína e Tocantinópolis. Grande parte da pesquisa da UFT se deve hoje às atividades no campus de Araguaína. Apenas nesse campus e em Tocantinópolis o número de alunos equivale ao da metade de alunos da UFT quando ela foi instituída. O crescimento vem pressionando por maior autonomia na medida em que a gestão de infraestrutura cada vez mais demandada vê-se prejudicada pela distância de 400 km até a reitoria em Palmas e pela falta de independência para tomar determinadas decisões administrativas”, ponderou.

A parlamentar acatou parcialmente as sugestões apresentadas, por meio de emendas, pela deputada federal Dorinha Seabra (DEM/TO), que sugeriu a criação da UFNT a partir dos desmembramento dos campi da UFT dos municípios de Xambioá, Colinas do Tocantins, Filadélfia e Guaraí, em complemento aos de Araguaína e Tocantinópolis.

Josi explica que a sugestão da democrata foi acatada parcialmente em virtude de vários argumentos contra a criação de mais campis, entre eles, a possibilidade dos oito campi gerar uma maior probabilidade de rejeição do Projeto na Comissão de Finanças e Tributação. “Nos termos de Ofício assinado em 07 de junho passado, o Movimento em Prol da Criação da UFNT em Araguaína e Tocantinópolis, após análise de aspectos políticos, técnicos e de impacto social do Projeto de Lei n.º 5.274, de 2016, e da emenda a ele apresentada, manifestou a esta relatoria o apoio à criação dos campi em Guaraí e Xambioá. Resolvemos, então, diante dessas considerações, acolher parcialmente a Emenda apresentada pela Deputada Professora Dorinha, para incluir esses dois campi na proposta de criação da UFNT, uma vez que a criação da Universidade do Norte é uma iniciativa que decorre naturalmente da grande expansão que se deu nos últimos anos nos campi de Araguaína e Tocantinópolis, demandando mais autonomia para sua gestão e crescimento”, explicou.