Polí­tica

Foto: Divulgação

O presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins (Sindifiscal), Carlos Campos, reuniu-se com o presidente da Câmara de Palmas, vereador José do Lago Folha Filho (PSD), na tarde dessa quarta-feira, 16, para discutir o empenho do parlamentar na busca pela implementação do Projeto de Lei nº 34, que visa suprir a falta de policiamento através da criação do Corpo Voluntário de Militares da Reserva Remunerado (CVMRR), permitindo o retorno à ativa de policiais militares da reserva que desfrutam de capacidade laboral.

O Sindifiscal, responsável pelas negociações resultantes na elaboração do Projeto por parte do Estado, enxerga na Câmara a mobilização de um novo apoio a propositura. Na última terça-feira, 15, uma reunião entre Folha e o deputado Paulo Mourão (PT), que pediu vistas da matéria, situou a Câmara entre as entidades que entendem a Projeto como alternativa ao baixo efetivo da Polícia Militar nas ruas da Capital e no Estado. “Estivemos com o deputado Paulo Mourão para que ele possa diligenciar o projeto e colocar para frente”, pontuou Folha.

“Uma Lei dessa dimensão, com baixo custo operacional, vem no momento oportuno em que a população precisa de segurança e o Estado precisa aparelhar seus mecanismos. A matéria tem potencial de atender a comunidade de modo geral ao mesmo tempo em que pode resolver a falta de segurança que assola os auditores do Estado do Tocantins”, completou o presidente da Câmara. 

Acompanhado do diretor geral da Câmara, João Paulo César Lima, o vereador reafirmou o compromisso e anunciou uma reunião entre o Comandante Geral da Polícia Militar, vereadores mobilizados por ele e o Sindifiscal na próxima semana.

Durante o encontro, o presidente Carlos Campos pontuou o quadro de instabilidade e insegurança vivido pelos auditores. “Nosso trabalho muitas vezes se limita pelas situações de riscos que enfrentamos. Motoristas armados, ameaças nas diversas áreas da fiscalização e até disparos contra postos fiscais objetivam intimidar a categoria constantemente. Não é possível que a vida do auditor continue em perigo enquanto há a viabilidade desta propositura”.

“Nós do Sindifiscal confirmamos presença na reunião que acontecerá na próxima semana e permaneceremos insistindo em articulações pela aprovação do Projeto”, arrematou Campos.