Estado

A comissão dos candidatos aprovados no concurso da Polícia Civil esteve em Brasília/DF, na última quinta-feira, 28, para reunir-se com deputados da base do Tocantins. O encontro teve como objetivo requerer o apoio dos parlamentares para a convocação de todos os aprovados no certame, onde os candidatos já concluíram o curso de formação. 

Uma das solicitações dos candidatos é que o governo faça a convocação dos remanescentes ainda este ano, ou pelo menos, apresente um cronograma para nomeação dos aprovados. 

A proposta principal da comissão é que a nomeação seja feita em dezembro, com posse e exercício em janeiro, adiando assim os efeitos financeiros apenas para o ano de 2018. 

Durante a visita à Câmara Federal os candidatos reuniram-se com o deputado César Halum (PRB) e com o deputado Vicentinho Júnior (PR), na ocasião eles entregaram um ofício com as solicitações. 

"Os parlamentares foram bem receptivos. Na conversa com Vicentinho ele chegou a ligar para o secretário de Segurança Pública, César Simoni, enquanto estávamos lá. O deputado falou também que já havia conversado com o governador Marcelo Miranda e com representantes da Secretaria da Segurança Pública (SSP). A argumentação é que por conta da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) eles estavam impedidos. Mas com a proposta para nomeação em 2018, tudo se enquadra", explica o candidato aprovado para o cargo de delegado, Joel Silveira, que estava na reunião ao lado de representantes dos aprovados para o cargo de escrivão de polícia.  . 

No encontro, o deputado Vicentinho afirmou que irá fazer um pronunciamento na tribuna chamando atenção para a importância da convocação. O parlamentar, que é portuense, ainda comentou sobre o aumento da criminalidade no Estado, ressaltando o aumento da violência em Porto Nacional. 

"O parlamentar comentou conosco que a cidade era muito tranquila, mas hoje em dia os índices de criminalidade são bem maiores. Ele ressaltou que o Estado e toda a população tocantinense precisam muito da nomeação dos concursados", lembrou Joel. 

No caso da convocação para o cargo de delegado, na primeira e segunda chamada, houve ainda 15 desistências por parte dos aprovados, o que reforça a necessidade da convocação integral dos aprovados. 

“A nossa luta é apenas para ocuparmos os cargos que conquistamos com muito esforço, dedicação e dignidade. E acreditamos que a ajuda dos parlamentares será fundamental para dar força ao nosso movimento. A convocação dos aprovados não irá satisfazer apenas um grupo de concurseiros, mas também toda a população que deseja e espera um Estado mais seguro, com mais pessoas trabalhando em prol da Segurança”, destacou Diêverson dos Reis, aprovado para o cargo de perito criminal.

Na lista para serem nomeados estão ainda 47 delegados, 40 peritos, 88 escrivães contabilizando o total de 175 candidatos. 

Por: Redação

Tags: Concurso, Polícia, Polícia Civil