Campo

Foto: Divulgação A meta é identificar cerca de três mil pisciculturas ou possíveis pisciculturas A meta é identificar cerca de três mil pisciculturas ou possíveis pisciculturas

O Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) inicia a primeira etapa do Censo da Cadeia Produtiva da Piscicultura no Estado. A ação consiste em traçar, neste momento, as rotas para localização dos piscicultores de forma eficiente, utilizando sensoriamento remoto por meio de softwares de mapeamento e geoprocessamento.

De acordo com a Gerência de Pesca e Aquicultura do Ruraltins, a localização das propriedades será feita através de coordenadas geográficas e por foto satélite de alta resolução. “Pelo computador vamos identificar cada propriedade em relação ao curso d’água, a área de tanques ou a área de barragens que essa propriedade possui e com isso vamos identificar uma por uma dentro do estado. Esse trabalho vai facilitar e agilizar a realização das visitas” frisou o gerente de Pesca e Aquicultura, Andrey Costa.

Ainda de acordo com o gerente, a meta é identificar cerca de três mil pisciculturas ou possíveis pisciculturas. “Destas, esperamos aplicar a pesquisa em 1.500 propriedades que realizam a atividade de fato, para isso, o Ruraltins irá disponibilizar cerca de 100 técnicos que irão se deslocar por todo o Estado realizando as visitas”, afirmou.

Após a identificação das propriedades, a próxima etapa será a capacitação dos técnicos da Regional do Ruraltins, em Gurupi, com início das visitas previsto para o dia 23 de outubro, na região sul do Estado.

Censo

O Censo da Produção de Pescado no Tocantins é uma ação realizada por meio de um termo de cooperação entre Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e a Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura (Seden) e tem como objetivo mapear, identificar, classificar e caracterizar a produção de peixe em cativeiro, traçando o perfil dos produtores e das propriedades.

“Com essa identificação, a intenção é traçar políticas públicas pontuais onde as pisciculturas estão, onde há polos de desenvolvimentos da atividade e trazer investidores para o Tocantins. E isso também oportuniza ao Estado a prestação de uma assistência técnica de qualidade a esses produtores, em que será traçado um plano de desenvolvimento específico para cada região, no sentido de promover o crescimento ordenado da atividade”, conclui gerente de Pesca e Aquicultura.

A previsão é que os trabalhos sejam concluídos em janeiro de 2018. O projeto terá o custo de R$ 750 mil, sendo R$ 350 mil do Fundo de Desenvolvimento Econômico, do Conselho de Desenvolvimento Econômico do Estado(CDE), órgão vinculado à Seden. O valor restante será como contrapartida econômica não financeira do Ruraltins.

Piscicultura no Tocantins

O Tocantins ocupa a 15ª posição no ranking nacional de produção de pescado. A expectativa do Governo do Estado é de que o Tocantins possa estar entre os cinco maiores produtores do país nos próximos dez anos. O censo marca o início dessa estratégia de fortalecer o setor. 

Por: Redação

Tags: Andrey Costa, Piscicultura, Ruraltins