Polí­tica

Foto: Divulgação Geo está coletando informações para encaminhar ao Ministério Público Geo está coletando informações para encaminhar ao Ministério Público

Os vereadores Júnior Geo (PROS) e Diogo Fernandes (PSD) criticaram, na sessão desta quarta-feira, 11, asfaltamento em avenidas de Palmas que já contavam com estrutura. "O que me causa ainda mais estranheza é saber que a NS 01, no trecho entre a LO 5 e a LO 7,entre a rotatória do HGP e a rotatória da Havan, é uma avenida que foi aberta e pavimentada há cerca de dois anos e ela já recebeu essa camada asfáltica do então prefeito de Palmas (Carlos Amastha). Ou o prefeito está agindo de má-fé, com o propósito de encaminhar recursos do município a terceiros, ou os seus subordinados", disse Geo. 

De acordo com Júnior Geo, "uma obra, quando executada por empresa privada ao setor público ou até mesmo ao setor privado, tem garantia de cinco anos". Segundo o vereador, a gestão não poderia pagar empresa por mesmo serviço, dentro do prazo de garantia. 

Diogo Fernandes, que na mesma sessão informou saída da base do prefeito Amastha, disse que vários bairros dentro da Capital não tem asfalto e deveriam receber atenção da gestão. "Temos aqui vários bairros dentro de Palmas que não tem asfalto e tenho visto nos últimos dias, muitos lugares sendo asfaltados duas vezes, lugares que não precisam. Se for falar, não aceita, não pode falar. Nunca vi isso", criticou. 

Júnior informou estar coletando informações para encaminhar denúncia no Ministério Público. "Camada asfáltica onde já tem asfalto, onde não necessita de asfalto, onde não tem parecer técnico que justifique a necessidade", completou. 

Professores contratados 

Durante a sessão, o vereador professor Júnior Geo questionou a permanência de profissionais contratados pelo Executivo nas escolas, mesmo após a suspensão da greve e retorno dos professores municipais às aulas desde o dia 28 de setembro. "Dezenas de professores entram em contato diariamente informando, noticiando pessoas contratadas que permanecem nas escolas sem ter o que fazer, exatamente porque não faz mais sentido sua contratação e a gestão municipal ainda quer mantê-los até o final do ano", ressaltou.

Além da contratação irregular desses servidores, o Ministério Público Estadual (MPE) e a Defensoria Pública Estadual (DPE) entraram com Ação Civil Pública requerendo a reposição das aulas correspondente ao período de greve.

Apoio à ampliação de meia passagem para estudantes

Na ocasião, o vereador Geo apoiou o Projeto de Lei proposto pela vereadora Laudecy Coimbra(SD) que visa garantir aos estudantes de cursos profissionalizantes o direito a meia passagem no transporte coletivo do município. “Estudante é estudante independente de ser curso técnico, de ser curso profissionalizante, de graduação e independente de dia e horário durante a semana, por isso, precisa do suporte necessário para conquistar um futuro digno”, destacou Geo.

A bandeira da meia passagem é uma defesa do parlamentar, tendo em vista o número de demandas recebidas e o contato com a realidade dos estudantes. Estudantes não contemplados têm procurado Geo para buscar o direito e estudantes contemplados têm exposto algumas necessidades em limitações dos direitos. 

Por: Redação

Tags: Atividade Parlamentar, Júnior Geo, PROS