Saúde

Foto: Divulgação

A Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) realizou vistoria no Hospital Regional de Gurupi (HRG) nesta terça-feira, 17. A vistoria foi realizada pelos defensores públicos Arthur Luiz Pádua Marques, da 30ª Defensoria Pública da Saúde, e Leandro Oliveira Gundim, coordenador do Núcleo Aplicado de Defesa das Minorias e Ações Coletivas (NUAmac) de Gurupi. Equipamentos quebrados e falta infraestrutura adequada estão entre as principais situações que, conforme os Defensores Públicos, prejudicam os atendimentos.

O objetivo da vistoria foi verificar a regularidade na prestação do serviço de saúde pública no Hospital. A estrutura física, o quadro de profissionais da saúde, o serviço de alimentação, estoque de medicamentos e atendimentos foram observados.

Conforme Leandro Gundim, a falta de equipamentos e infraestrutura no local é um dos mais graves problemas no Hospital Regional de Gurupi. Segundo ele, há muitos equipamentos importantes sem funcionar, como a máquina de raio-X, que não funciona desde 2016. O tomógrafo, que está queimado há mais de um mês, não tem previsão de reparação.

Além disso, os aparelhos de autoclaves (utilizado esterilização de materiais) não estão funcionando e há a ausência de materiais básicos, como fita gasométrica (utilizada no gasômetro). “Aparelho raio-x e ultrassom são básicos em qualquer hospital. Os pacientes que necessitam de tais exames estão realizando por conta própria em clínicas particulares”, disse Leandro Gundim.

Falta de leitos

Conforme os Defensores Públicos, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) não possui leitos suficientes para atender a demanda do hospital, que hoje atende mais de 20 municípios da região Sul do estado, contando com apenas dez leitos, todos ocupados.

“O espaço físico de modo geral não é apto a atender a população, deixando a desejar até mesmo aos funcionários, que disputam por cadeiras e lugares nos postos de enfermagem, sendo que alguns destes não detêm ‘repouso’, lugar destinado ao descanso intrajornada dos enfermeiros e técnicos”, destacou Leandro Gundim.

Rouparia

Assim como foi detectou na vistoria realizada no Hospital Geral de Palmas (HGP), no último dia 11, o Hospital Regional de Gurupi também conta com sérios problemas de rouparia. Conforme o relatório, o hospital conta com apenas 180 lençóis para que seja suprida uma demanda diária de, no mínimo 800 unidades para trocas.

Equipe

O número de profissionais de saúde no quadro de servidores também é um grave problema no sistema hospitalar de Gurupi. A vistoria constatou que o hospital conta com pouquíssimos profissionais especializados e os que atuam, reclamam de falta de pagamento há mais de três meses, além de trabalho excessivo.

A principal área em déficit de profissionais é a Ortopedia, que conta com apenas sete médicos profissionais, numa escala de dois por dia para fazer, em média, 30 cirurgias por semana e quatro procedimentos, sendo estes, a realização dos retornos, atendimentos emergenciais, urgências e prescrição médica, acarretando uma espera de meses de muitos pacientes.

Atualmente, o HRG tem 27 pacientes na fila de espera para procedimento cirúrgico ortopédico.