Polí­cia

Foto: Rondinelli Ribeiro

Tribunal do Júri realizado na quarta-feira (25/10) na Comarca de Colinas do Tocantins considerou o réu Ramilton G. E. o autor das facadas que mataram Roberto Bezerra Campos quando saía do Hospital Regional de Colinas. Os jurados também confirmaram que o réu cometeu o crime por motivo torpe e que o crime foi cometido por meio de emboscada e recurso que dificultou a defesa da vítima.

Conforme a denúncia, Ramilton G. E.e a vítima tiveram uma briga em uma festa realizada em agosto de 2008 em um bar no setor Santa Rosa, em Colinas, na qual a vítima saiu lesionada nos olhos e procurou o hospital local para tratamento. Nesse intervalo, o réu passou em sua residência armou-se de uma faca e se postou ao lado do muro do hospital, em um ponto escuro, aguardando a saída da vítima. Quando Roberto Campos passou pelo local, recebeu dois golpes de faca no pescoço e tórax e, mesmo socorrido, faleceu.

Com a decisão do Conselho de Sentença, o juiz Marcelo Eliseu Rostirolla, que presidiu o júri, fixou a pena definitiva em 16 anos e três meses de prisão, a ser cumprida em regime fechado. Até serem julgados os eventuais recursos contra a sentença, o juiz decidiu que o réu aguardará em liberdade.