Saúde

Foto: Nielcem Fernandes/ Sesau/TO O uso do preservativo nas relações sexuais e a vacina contra o HVP são as principais formas de se prevenir O uso do preservativo nas relações sexuais e a vacina contra o HVP são as principais formas de se prevenir

De acordo com estudo epidemiológico feito pelo Ministério da Saúde em parceria com o Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre, mais da metade da população brasileira de 16 a 25 anos de idade - 54,6% - está infectada com o Human Papiloma Vírus (HPV). Em 38,4% dos casos, o vírus oferece alto risco de câncer no colo de útero, pênis e boca. 

Pesquisadores ouviram quase oito mil jovens em todas as capitais do País. O HPV atinge a pele e as mucosas, podendo causar verrugas ou lesões percursoras de câncer, mas pode ser evitado com duas doses de vacina. As relações sexuais são a principal forma de transmissão do vírus, mas ele também pode ser disseminado pelo sangue, por roupas ou objetos contaminados (como toalhas, roupas íntimas ou sabonetes), pelo beijo e durante o parto.

O uso do preservativo nas relações sexuais e a vacina contra o HVP são as principais formas de se prevenir contra as doenças causadas pelos vírus. Em junho deste ano, o governo federal anunciou a ampliação do público-alvo para a vacinação contra a doença: meninos de 11 a 15 anos agora podem receber uma dose.

A Secretaria Estadual de Saúde do Tocantins vem alertando para a baixa procura por vacina HPV no Estado. O Ministério da Saúde chegou a ampliar a vacinação para homens e mulheres entre 15 e 26 anos nos municípios que ainda tenham estoque da vacina. 

Saiba mais sobre o assunto, clicando aqui.

Por: Redação

Tags: HPV, Ministério da Saúde