Polí­tica

Foto: Ascom Mourão destacou a questão da Bacia Hidrográfica do Rio Formoso que precisa de uma intervenção, revisão e novos investimentos urgentes Mourão destacou a questão da Bacia Hidrográfica do Rio Formoso que precisa de uma intervenção, revisão e novos investimentos urgentes

O deputado estadual Paulo Mourão está participando da 8ª Edição do Fórum Mundial da Água, o evento segue até sexta-feira, 23. A proposta do Fórum é resolver a problemática da água por meio de um diálogo aberto entre o mundo, trazendo a temática ‘Compartilhando Água’.

Aproveitando a oportunidade no evento o deputado ressaltou a importância da participação do Tocantins em um evento de proporção mundial, que debate o tema água sobre várias vertentes e proporciona a interação entre autoridades governamentais e parlamentares em debates sobre as políticas públicas para conservação, proteção, planejamento e gestão do uso racional do bem mais precioso do planeta: a água.

O Fórum Mundial da Água teve início no último sábado, 17, e seguirá até essa sexta-feira, no Centro de Convenções Ulisses Guimarães e no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília. Os debates acontecem sobre a água em diversos aspectos como água e energia, economia, alimentos, cidades e ecossistemas. Para o deputado Paulo Mourão é um momento de troca de conhecimento e de identificar possibilidades para trabalhar a questão hídrica de forma responsável no Tocantins, no Brasil e no mundo.

Entre as atividades o parlamentar destacou o painel sobre segurança de barragens com o corpo do Exército dos Estados Unidos e representantes da Agência Nacional de Águas (ANA). “Eles trouxeram as experiências de países como Portugal e Espanha de acompanhamento e monitoramento de riscos, que propõem uma segurança maior, mas questionei o caso do Brasil com as empresas multinacionais, que têm sua parcela de contribuição no desenvolvimento, mas ainda desrespeitam leis, licenciamentos e pecam na qualidade da execução de seus projetos”, disse.

Mourão destacou a questão da Bacia Hidrográfica do Rio Formoso que precisa de uma intervenção, revisão e novos investimentos urgentes. “A resposta que tivemos é que não tem como o governo federal investir e não tem como fiscalizar, ficando esta tarefa para os municípios”, informou o deputado, que foi categórico ao ressaltar que “se não houver um cuidado de revisão e manutenção podemos ter um problema sério de rompimento, por isso a necessidade de intervenção dos órgãos competentes pois todo o sistema precisa ser revisado, afinal são mais de 35 mil hectares de área irrigada, que dependem diretamente do Rio Formoso”.

A preocupação de Paulo Mourão é que se unam esforços no sentido de garantir que os recursos hídricos do Brasil sejam utilizados de forma sustentável. Ele alertou para um dos maiores tesouros brasileiros: a Bacia Amazônica, que dos seus 7 milhões de km², 3,8 milhões de km² estão no Brasil. Ela possui um grande potencial de geração de energia elétrica, é potência em transporte pluvial e é importante fonte de alimento para os que vivem em seu entorno. “É preciso um olhar mais atento do governo federal para garantir investimentos para a Bacia Amazônica, que tem grande importância econômica para a economia brasileira.”

Fórum Mundial da Água

Com a programação desta oitava edição acontecendo até essa sexta-feira, o Fórum reúne a sociedade civil organizada, cientistas, governantes, parlamentares, magistrados e cidadãos em geral de 175 países. São representantes do mundo inteiro e o Fórum acontece a cada três anos, sempre em um país diferente. O primeiro Fórum aconteceu em Marrakesh, no Marrocos, no ano de 1997, e desde então vem discutindo a questão hídrica mundial e tem o propósito de estabelecer compromissos políticos, bem como incentivar o uso racional, a conservação, a proteção, o planejamento e a gestão da água.