Polí­tica

A declaração do governador foi feita durante solenidade de apresentação dos computadores feitos a partir de máquinas caça-níqueis, em Quintino, subúrbio do Rio.

"A participação do governo federal nos Jogos Pan-americanos foi grande. O governo do estado e o presidente trabalharam numa parceria tão boa que não será qualquer armadilha que vai tirar o amor ao Rio do Lula", disse Sérgio Cabral.

Em coletiva concedida à imprensa depois da solenidade, o governador explicou a sua declaração. "Ninguém em sã consciência vaiaria o presidente Lula. Ele foi aplaudido durante a sua visita à Vila do Pan. Foi saudado na Tijuca durante carreata. O Rio ama o Lula", disse.

Quando perguntado se o responsável pela "armadilha" teria sido o prefeito do Rio, Cesar Maia, o governador respondeu: "Eu não disse que foi ele. Não vou citar nomes. Só sei que, quem fez, fez mal. Foi um bumerangue que voltou e bateu na cabeça do responsável. Lula não ajudou o Pan pensando em direito autoral. Foi pensando no povo brasileiro", disse.

Cabral desmentiu que o presidente não discursou devido às vaias na cerimônia. "Foi uma confusão do cerimonial", confirmou.

Por: Redação

Tags: Estado, Governador, Política