Economia

de ferrovia Norte-Sul, de cerca de 1.000 quilômetros entre Palmas, no Tocantins, e Aparecida do Taboado, em Mato Grosso. "Devemos marcar o leilão para março de 2008", afirma.

Apesar de a Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) ter sido hoje a única empresa a participar do leilão de subconcessão para exploração comercial de 720 quilômetros da ferrovia Norte-Sul (FNS), o executivo se disse satisfeito com o resultado. "O importante é que foi dado o start para novos investimentos em ferrovia no Brasil", afirma.

O executivo lembra que desde 1950 o País não recebe aportes para a construção de novas ferrovias. Neves diz que além do trecho concedido à Vale, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) prevê investimentos no setor. Ele lembra que está programada a construção de 280 quilômetros entre Anápolis e Aruaçu, em Goiás. O trecho tem orçamento de R$ 550 milhões. "A ferrovia está renascendo no Brasil", afirma.

O presidente da Valec informou ainda que dois grupos participaram da pré-qualificação para a Norte-Sul, mas não continuaram até o final do processo. Um dos grupos, o Alvorada, era formado por empresas russas interessadas em explorar minério de ferro em Tocantins. Outro grupo foi o RG, de Minas Gerais, que tinha participação de empresas chinesas.

Agência Estado

Por: Redação

Tags: Economia, ferrovia