Geral

Foto: Josélia de Lima.

Preocupado com a situação dos índios Apinajé, que estão reunidos na Aldeia São José, no município de Tocantinópolis, o governo do Estado enviou para o local aproximadamente 2.000 quilos de sementes para fortalecer a agricultura familiar e reforçar a alimentação da comunidade indígena. A entrega das sementes foi realizada na quarta-feira, 23, pela manhã. Participaram da solenidade o secretário da Cidadania e Justiça, Télio Leão Ayres; a subsecretária da Cidadania e Justiça e diretora de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, Dulce Furlan; o administrador regional da Funai de Araguaína, Cleso Fernandes de Moraes; o vereador de Tocantinópolis, Mardônio Vilanova Queiroz, e a comunidade indígena do local.

A preocupação com a alimentação dos índios Apinajé é porque a aldeia São José recebeu 160 famílias e sua população passou para 1.300 pessoas.

“Entregamos as sementes e vocês devem ter em mente que necessitam de uma produção grande para alimentar todos da aldeia. Para este ano, a previsão da Defesa Civil é de seca, por isso, devemos se preparar para esse período de escassez de alimentos. E para fortalecer esse projeto de agricultura dos povos Apinajé, todos os índios devem estar envolvidos, devem plantar, cuidar da terra e da plantação”, explicou Dulce Furlan.

O cacique da Aldeia Maior, Orlando Ribeiro Apinajé, disse que os indígenas estão felizes com as sementes e com as perspectivas de produção. “Agradeço ao governador Marcelo Miranda e ao secretário Télio Ayres por ter olhado para o nosso povo”, disse.

Télio Ayres explicou que o governo do Tocantins está dando uma atenção especial aos indígenas. Criou a Coordenação Estadual Indígena, responsável pela interlocução entre Governo e Povos Indígenas. “O Governo está dando a vara de pescar e não o peixe. Sabemos que a caça e a pesca estão diminuindo e que devemos criar novas alternativas para a sobrevivência das comunidades indígenas”, frisou Télio Ayres. O Secretário disse ainda que a preocupação do Governo é desenvolver ações que não tire dos índios a sua maior riqueza: a sua cultura, os seus costumes, o respeito aos anciãos e a figura do cacique.

Geração de renda

A Aldeia São José vem sendo foco de experiências de várias instituições para que a comunidade tenha independência financeira. Um importante passo foi dado pela Associação dos Pequenos Produtores Indígenas, que está realizando no local criação de porcos de excelente qualidade visando futuramente exportar carne suína para outros estados. No momento, são 68 matrizes, que devem reproduzir em 2008. O projeto está sendo financiado pelo Pronaf – Programa Nacional de Agricultura Familiar e Basa – Banco da Amazônia e conta com a parceria de universidades e outras instituições de pesquisas.

Esse projeto recebe a orientação do engenheiro agrícola Mardônio, que também é vereador. Ele contou que a comunidade também está planejando desenvolver um projeto de fruticultura. A aldeia São José está na reserva indígena, formada por 155 mil hectares nos municípios de Tocantinópolis, Nazaré, Luzinópolis, Cachoeirinha, São Bento e Maurilândia. A área possui terra fértil e dois pequenos rios.

Parceria

As sementes foram doadas na tarde da terça-feira, 22, por Ricardo Pires Castro Sobrinho, diretor de Desenvolvimento Rural e Tecnológico da Seagro – Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Foram entregues sementes de abóbora, pepino, melancia, 100 kg de milho, 50 kg de feijão, 300 kg de sulfato de amônia e 1.000 quilos de fertilizantes.

Fonte: Secom

Por: redação

Tags: Apinajés, Indígenas, Tocantins