Polí­tica

Após reunião extraordinária da Executiva do PDT Metropolitano e do Conselho de Ética, nesta sexta-feira, 23, na sala de reunião da Câmara Municipal de Palmas, foi elaborado um documento de advertência contra o vereador Damaso, que estaria ferindo a legislação eleitoral, no que se refere à fedelidade partidária, uma vez que o vereador faria parte da formação de um bloco de partidos (PSB, PRB, PDT, PMDB e PT) com a intenção de apoiar uma possível candidatura à reeleição do prefeito Raul Filho (PT).

A Executiva do PDT Metropolitano considerou falta grave do vereador Damaso e afirma que o mesmo “não está autorizado a falar em nome do partido, porque esta autorização não lhe foi outorgada”, segundo o documento de advertência elaborado, bem como que o partido já possui uma pré-candidata à prefeitura da Capital, a presidente do PDT Metropolitano, a vereadora Edna Agnolin.

Na advertência, a Executiva afirma que o posicionamento do vereador Damaso “tem causado espanto a executiva municipal, porque todos os seus pronunciamentos e posicionamentos não foram, de forma alguma, autorizados por esta comissão diretiva do partido na Capital”. Sobre a questão da fidelidade partidária, o PDT é enfático ao afirmar que, “como princípio fundamental na relação dos partidos com seus membros, o mandato pertence ao partido”.

Segundo Alfredo Branchina, presidente do Conselho de Ética do PDT de Palmas, “de acordo com as normas estatutárias do partido, principalmente o que aduz os artigos 5, 9 e 10, são claros quanto às infrações cometidas pelo vereador Damaso, por isso esta correspondência tem o intuito de adverti-lo quanto aos seus atos. Caso ele continue a descumprir as normas partidárias, tomaremos as medidas cabíveis e pertinentes que o caso requer”, complementa o secretário. Cópias do documento de advertência também estão sendo enviadas às Executivas Estadual e Nacional do PDT.

Fonte: Assessoria de Imprensa  PDT

Por: Redação

Tags: Hermes Damaso, PDT, Política