Polí­tica

Foto: Antônio Gonçalves

Nesta sexta-feira, 29, durante comício entre as quadras Arses 112 e 122 (1.106 e 1.206 Sul) que reuniu aproximadamente 6 mil pessoas, Raul Filho (PT) voltou a lembrar em seu discurso o estado de abandono em que encontrou a prefeitura de Palmas em 2005. O candidato sempre lembra que quando assumiu não encontrou sequer cadeira para sentar ou computadores para trabalhar.

Raul frisou que Palmas em 2005 tinha uma taxa de desemprego de 24,75% - na época, Nilmar Ruiz (DEM) foi responsável pela demissão de 4 mil trabalhadores do município, fato que contribuiu para o agravamento de uma das piores crises econômicas que a capital passou - e hoje se encontra em 11%. Segundo ele, o maior índice de redução de desemprego do país. “Acessem no site do IBGE os dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e vejam que nenhuma cidade conseguiu baixar tanto a taxa de desemprego”.

Raul disse que não precisou fazer propaganda disto na mídia, e que um dos principais compromissos que assumiu em 2004 foi tornar Palmas autônoma financeiramente “e assim temos feito”, afirmou.

O candidato lembrou que levou um ano e meio para tirar a prefeitura do estado caótico em que encontrou e em 2006 partiu para a elaboração de projetos, o que propiciou os atuais recursos orçamentários à disposição na Caixa Econômica Federal, da ordem de 300 milhões, para investir em infra-estrutura, saúde e educação no município.

Segundo o candidato a prefeitura não tinha uma secretaria para cuidar da habitação e na gestão passada construiu apenas 49 unidades habitacionais para famílias de baixa renda. “Hoje temos um dos principais programas habitacionais do país”, disse. Raul ainda informou que, somando todos os governos passados na capital, foram construídas 2.060 casas e em seu governo até o final deste ano terá entregado 5.300 unidades habitacionais.

Raul também lembrou aos espectadores que não precisou ser nenhum educador para perceber que a educação “resgata o ser humano” e afirmou que foi o seu governo que ressuscitou a educação em Palmas “que hoje é modelo para o país”. segundo ele em seu próximo governo 100% das crianças de 6 a 14 anos estarão na escola de tempo integral - hoje 29% das crianças usufruem deste sistema de educação.

Além de Raul Filho e a vice Edna Agnolin, estavam presentes os presidentes metropolitanos do PMDB, deputado Eli Borges, e do PT, deputada Solange Duailibe; o prefeito de Palmas, Derval de Paiva; a presidente do PMDB Mulher, Maria Helena Brito Miranda; lideranças políticas e comunitárias e os candidatos a vereador da coligação.

Solange Duailibe

A deputada Solange Duailibe disse que está bastante confiante na vontade do povo em reeleger Raul Filho: "a presença de vocês é a verdadeira e única prova de que o povo está com Raul, por acreditar que somente ele tem o melhor projeto para Palmas", discursou, completando que: "Lula é o grande parceiro do nosso povo e de Raul, e todo mundo sabe disso. Não é preciso que outros candidatos mintam, dizendo que têm o apoio do presidente, porque será no nosso palanque que ele vai subir", disse a deputada.

Solange dirigiu críticas à candidata do DEM, “ela disse que vai fazer Palmas sorrir novamente, mas Palmas já anda sorrindo principalmente com as obras de habitação que foram feitas”, alfinetou.

Edna Agnolin

A candidata à vice, Edna Agnolin, disse que Palmas está vivendo um excelente momento de consolidação econômica, e que este processo não pode ser interrompido por "meros devaneios partidários e pessoais, cheios de egoísmo e de falta de compromisso com o nosso povo".

Homenagem e oração

Antes dos pronunciamentos Raul Filho pediu um minuto de silêncio em homenagem ao senhor José Rodrigues Alves, pai do vereador Jucelino Rodrigues (PRB), que faleceu na quinta-feira, 28. Também foi feita uma oração pela saúde da funcionária do Posto de Saúde do Aureny IV, Verdineuza Pereira, que se encontra hospitalizada vítima de um aneurisma cerebral.

 

Umberto Salvador Coelho