Geral

Foto: Divulgação

A coordenadora do programa municipal DST/AIDS em Gurupi, Maria Auxiliadora da Paixão Aires, indica que existem hoje em Gurupi 60 pessoas vivendo com o HIV e sendo acompanhadas pelos especialistas do programa. Entretanto, o número que poderá triplicar devido aos que ainda não manifestaram o vírus.

Para Auxiliadora, do ano de 1992 até novembro de 2007, o serviço de referência de Gurupi já atendeu 150 pessoas. "Destas 150 pessoas nós já tivemos algumas que foram a óbitos, outra foram transferidas e tivemos pessoas que souberam do resultado e nunca mais apareceram. Atualmente nós temos 60 pessoas que estão sendo acompanhadas pelo serviço de assistência especializada", disse.

Dados do programa Municipal DST/Aids indicam que a faixa etária das pessoas assistidas fica entre 35 a 50 anos, a categoria de disposição que prevalece é a heterossexual do sexo masculino, embora o feminino esteja bem próximo.

Prevenção, o melhor caminho

Dentre as ações do programa municipal DST/AIDS, a prevenção é o principal foco de combate. "Mesmo recebendo os anti-retrovirais, [drogas que inibem a reprodução do HIV no sangue] e tendo a assistência que a pessoa precisa, nós acreditamos que a prevenção está em primeiro lugar. Então, as ações de divulgação da prevenção e do uso de preservativo, que é prática mais segura e do sexo seguro, não compartilhar seringas, não usar material contaminado com sangue é o que temos que divulgar ainda mais", esclarece.

Fonte: Atitude Online

Por: Redação

Tags: AIDS, Geral, Gurupi, Saúde