Geral

Foto: Leila Novais

Jornalistas, acadêmicos e demais profissionais da Comunicação de Gurupi, reuniram-se ontem, terça-feira, 31, em frente a Prefeitura de Gurupi com o propósito de reforçar as mobilizações que ocorreram por todo o País em defesa da obrigatoriedade do diploma para exercer a profissão de Jornalista.

A chuva não foi empecilho para que percorressem as principais ruas da cidade em defesa da classe. Durante o trajeto, o jornalista e professor, Maurício Fenelon, informava às pessoas que circulavam pelas ruas, a importância da divulgação de uma informação com ética e de qualidade.

Para o jornalista e Assessor de Comunicação da Prefeitura local, Paulo Albuquerque, o diploma "é uma garantia para que se possa trabalhar com segurança e enfrentar de peito aberto o mercado de trabalho", declara. Ele acredita ainda, que, caso seja votado hoje, 1º de abril, pela não obrigatoriedade do diploma, "haverá muito prejuízo para a sociedade, porque a falta de técnica estaria entrando nas redações e junto, a manipulação e distorção de determinada informação".

O acadêmico do 7º período de Comunicação Social do Centro Universitário UnirG, Robertt de Moraes afirma que "os quatro anos passados na faculdade dão embasamento científico ao profissional e mostra como o verdadeiro Jornalismo deve ser praticado". A mobilização "é uma forma de chamar a atenção das autoridades para que profissionais sem diploma possam ser substituídos por aqueles devidamente capacitados", afirma.

Da redação com informações Agência Primazia