Geral

Foto: Divulgação

O Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), vinculado à Casa Civil da Presidência da República, confirmou nesta sexta-feira, 22, a compra de um novo sistema de comunicação por satélite, composto por 1.033 terminais VSAT (Very Small Aperture Terminal) e duas HUB’s (equipamentos centralizadores da rede/estação máster). O investimento de R$ 9 milhões ajudará a revitalizar todo o parque de comunicação do órgão, que atende centenas de localidades remotas e isoladas da Amazônia Legal brasileira. Cada HUB custou R$ 2,5 milhões e os terminais VSAT foram comprados por valores que variam entre R$ 4 mil e R$ 12 mil reais.

A modernização auxiliará na divulgação dos produtos da Cartografia da Amazônia, que fornecerá informações importantes aos estados e prefeituras da Amazônia, bem como a dezenas de instituições que dependem do Sipam para atender às demandas da população da região. Atualmente, o Sipam possui 560 terminais VSAT em funcionamento. Além de substituir os equipamentos em uso, os terminais adquiridos permitirão ao Sipam ampliar ainda mais a rede de telecomunicações.

A VSAT permite que localidades remotas e isoladas tenham acesso à internet, telefone e fax por satélite. O terminal é composto por equipamentos internos (IDU – Indoor Unit) e externos (antena parabólica; ODU – Outdoor Unit; e LNB – Low Noise Block). Os equipamentos recém adquiridos oferecerão aos usuários (órgãos parceiros do Sipam) um serviço de comunicação baseado numa das tecnologias mais modernas disponível no mercado, pelo menos duas vezes mais rápido do que o oferecido atualmente. A principal mudança que será sentida será na velocidade de envio de arquivos de dados (upload), que poderá chegar a 1 megabit por segundo (Mb/s).

Segundo o diretor Técnico do Sipam, Cristiano da Cunha Duarte, os novos equipamentos oferecerão maior velocidade e confiabilidade aos usuários. “Será como mudar de um sistema de acesso por linha discada para um de banda larga, com alteração significativa na qualidade”, explica Cunha. O Sipam utilizará aceleradores de velocidade para que o tráfego de dados ocorra com o melhor desempenho possível, similar o que é oferecido hoje pelas operadoras comerciais de banda larga. O diretor também explica que alguns dos equipamentos que estão sendo comprados poderão suportar teleconferências e até mesmo estabelecer contato direto com outros terminais, sem a mediação da estação máster.

Boletins climáticos

Os novos equipamentos devem ser entregues ao Sipam ainda no primeiro semestre de 2010. Assim que as equipes estiverem treinadas, a partir de julho, devem iniciar as missões de campo para substituir os atuais terminais. A conclusão do processo de instalação pode levar até dois anos, pois a maior parte das antenas está em regiões de difícil acesso.

Entre as instituições que serão beneficiadas pela modernização do parque de telecomunicações do Sipam estão as Forças Armadas, Polícia Federal (PF), Funai, Funasa, Embrapa, Poder Judiciário, prefeituras municipais e vários órgãos vinculados aos governos estaduais e aos ministérios do Meio Ambiente, da Justiça e do Desenvolvimento e Reforma Agrária.

Cunha explica que a modernização do sistema de comunicação melhorará telemetria (mensuração e envio de informações) dos sensores (radares meteorológicos, detectores de raios e estações de superfície) aumentando ainda mais a qualidade dos boletins climáticos e das previsões do tempo repassadas à imprensa, Defesa Civil, instituições de ensino e pesquisa e à sociedade em geral. Além disso, oferecerá maior segurança às comunidades que vivem isoladas, às tribos indígenas, aos postos de fronteira (Receita Federal, Exército, Polícia Rodoviária Federal, PF, entre outros) e demais representações do Estado brasileiro.

Os 560 terminais que estão em uso foram adquiridos na década de 1990 e instalados a partir de 2002. O tempo de vida útil de boa parte do equipamento está próximo ao limite de utilização. Além do mais, com a evolução da tecnologia e o surgimento de novas necessidades o material esta se tornando obsoleto.

Fonte: Ascom Sipam