Geral

Foto: Divulgação

O Tocantins foi um dos beneficiados com a decisão da Diretoria Executiva do Banco Mundial que aprovou na última sexta-feira, 19, uma doação de US$ 13 milhões do Fundo Global para o Meio Ambiente - GEF, na sigla em inglês - para a Iniciativa Cerrado Sustentável, que visa garantir a conservação da savana com maior a biodiversidade no mundo e que abrange quase 25% do território brasileiro. O Estado irá receber US$ 3 milhões do montante, para o projeto Cerrado Sustentável, apresentado pela Secretaria de Recursos Hídricos e Meio Ambiente (SRHMA).

A doação será implementada pelos governos Federal e Estadual do Brasil, com apoio do Banco Mundial. O projeto tocantinense, prevê a preservação, recuperação e conservação do bioma, aumentando o número de áreas protegidas, promovendo o uso sustentável e a conservação da paisagem rural e contribuindo para uma gestão mais sustentável do solo, a proteção das florestas e da biodiversidade e para uma maior inclusão social

Projeto

A iniciativa GEF Cerrado Sustentável, projeto que nasceu de uma parceria entre o Ministério do Meio Ambiente – MMA, o Fundo para o Meio Ambiente Global - GEF e o Banco Mundial (Bird). O projeto cerrado sustentável do Tocantins atuará na parte Leste do Estado, área com cerca de 116 mil km2 (42% do estado), onde se concentram as áreas mais preservadas do Cerrado.

Cerrado

O Cerrado é um tipo único de savana tropical, que abriga mais de 12, 000 espécies de plantas e dezenas de milhares de espécies de mamíferos, aves, répteis, anfíbios e peixes de água doce. Estudos recentes, entretanto, mostraram que o bioma está sob tensão devido às altas taxas de desmatamento, uma média de 1.4 milhões de hectares anuais (uma taxa de 0,7% / ano). Estima-se que cerca de 48% do Cerrado já foram perdidos. Se essa tendência atual persistir, o bioma poderá desaparecer até 2085. (Com informações do Banco Mundial).

Fonte: Assessoria SRHMA

Por: Redação

Tags: Banco Mundial, SRHMA, Tocantins