Geral

Foto: Divulgação Ex-deputado federal Freire Júnior conta com apoio de mais de 100 lideranças políticas Ex-deputado federal Freire Júnior conta com apoio de mais de 100 lideranças políticas

Diante da indefinição com relação a indicação da segunda vaga ao Senado na chapa da União do Tocantins, o pré-candidato do PSDB e ex-deputado federal Freire Júnior recebeu uma lista com nome de lideranças que apóiam a indicação de seu nome.

Conforme a lista encaminhada ao Conexão Tocantins, o presidente da Associação Tocantinense de Municípios, prefeito de Santa Fé do Araguaia, Valtenis Lino (PMDB) e ainda o prefeito de Gurupi, Alexandre Abdala (PR) defendem a indicação do nome do tucano para a vaga. Assinam ainda o documento de apoio a prefeita de Peixe, Neila Pereira dos Santos e também os gestores dos municípios de Novo Alegre, Luzinópolis, Conceição do Tocantins, Nova Olinda e Santa Maria.

A manifestação de apoio está sendo realizada através de telefonemas e ainda visitas ao pré-candidato. Na lista constam também o nome de quatro vice-prefeitos e 47 vereadores totalizando 121 nomes. Dentre as lideranças dos municípios, o ex-deputado federal conta com o apoio de Goiaciara Cruz, esposa do ex-prefeito de Gurupi, João Cruz.

Com o aval do ex-governador e pré-candidato Siqueira Campos (PSDB), Freire, mesmo sem a certeza de que será indicado pelo grupo, visitou 128 municípios em busca de apoio. Com a proximidade da definição, o tucano intensifica os contatos com a base em torno de seu nome. No grupo, Freire disputa a vaga com o deputado federal Eduardo Gomes, também do PSDB e ainda com a ex-prefeita de Araguaina, Valderez Castelo Branco (PP).

Convicção sobre indicação

Em entrevista ao Conexão Tocantins neste sábado, 15, Freire afirmou que tem convicção de que será indicado para a vaga ao Senado. “ Tenho plena certeza que serei indicado pelo grupo e continuo trabalhando nos municípios junto às lideranças”, frisou. Com relação às indagações de que o PP, do deputado federal Lázaro Botelho, seria o responsável por indicar a vaga que ainda não está preenchida na majoritária, o ex-deputado disse que não acredita que o partido indicará a ex-prefeita de Araguaína, Valderez Castelo Branco, nome mais sondado.

“ Não acredito que o PP indicará a Valderez, não por falta de mérito, pois ela é preparada e está pronta para o mandato no entanto essa indicação pode trazer dificuldades internas no grupo”, afirmou. Freire argumenta que os dois senadores, Valerez e João Ribeiro, com base eleitoral na região norte pode deixar a desejar com relação às outras regiões do Estado. “É uma questão geopolítica que pode trazer conseqüências desagradáveis”, frisou.

Outro ponto que ele salienta é a questão de um possível atrito entre os pré-candidatos a deputado federal do grupo, já que Botelho tentará reeleição mesmo se Valderez for indicada para a vaga.

Para Freire, o partido pode indicar outra pessoa e também consultar o ex-governador sobre o nome ideal para compor junto com Ribeiro. “O PP poderá ouvir os demais partidos e candidatos e fazer a opção dentro de um dos nomes do nosso quadro”, pontuou. Nessa hipótese, o ex-deputado não descarta a possibilidade de ser escolhido pelo partido. “Uma das primeiras pessoas que visitei quando resolvi ser candidato foi a Valeres e também o Lázaro além disso tenho um bom relacionamento com eles”, disse.

Valderez confirmada

Conforme informações ao Conexão Tocantins, o nome de Valderez teria sido fechado para a vaga nesta quinta, 13, junto às lideranças do grupo da União do Tocantins. Um evento para consagrar a indicação da pepista estaria sendo preparado inclusive com a presença do presidente nacional da legenda, senador Francisco Dornelles. Freire afirmou que não tem conhecimento sobre essa definição.