Polí­tica

A assessoria do deputado estadual Manoel Queiroz enviou nota ao Conexão Tocantins onde afirma que a filiação do deputado ao PPS ocorreu apenas após sua expulsão do Partido dos Trabalhadores “não se caracterizando, portanto, infidelidade partidária”. A Procuradoria Regional Eleitoral ajuizou ação de decretação de perda de mandato eletivo por infidelidade partidária do deputado.

Ainda segundo nota, o PT não pediu perdas do mandato do deputado e o pedido da Procuradoria Regional Eleitoral é apenas mais uma etapa do processo que segue seus trâmites normais.

Confira a nota íntegra

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Sobre o pedido de decretação do mandato do deputado estadual Manoel Queiroz feito pela Procuradoria Regional Eleitoral, esclarecemos que:

1- O deputado Manoel Queiroz acredita no direito de completar o mandato legitimado pelo povo no pleito eleitoral de 2006;

2- A filiação do deputado ao Partido Popular Socialista (PPS) somente ocorreu após sua expulsão do Partido dos Trabalhadores (PT), não se caracterizando, portanto, infidelidade partidária;

3- Apesar de o parlamentar ter saído dos quadros do PT, o partido não pediu a perda de seu mandato, conforme pode ser comprovado em publicações de diversos órgãos de imprensa do Tocantins;

4- O pedido da PRE/TO é apenas mais uma etapa do processo que está seguindo seus trâmites normalmente.

Atenciosamente,

Assessoria de Comunicação do Deputado Manoel Queiroz