Geral

Foto: Koró Rocha

A implantação e a regulamentação da prática da pesca e aqüicultura no Lago da Usina Hidrelétrica – UHE Lajeado – foram discutidas em audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Rural, Cooperativismo, Ciência, Tecnologia e Economia na tarde desta terça-feira, dia 22. A reunião foi dirigida pelo presidente da comissão, deputado César Halum (PPS), e a iniciativa do evento foi da deputada Solange Duailibe (PT), por meio de um requerimento aprovado na Casa.

O foco principal foi discutir a implantação de projetos de aproveitamento das águas da União no Lago da UHE de Lajeado no campo da pesca e aquicultura que é a produção de organismos aquáticos, como a criação de peixes, moluscos, crustáceos, anfíbios e o cultivo de plantas aquáticas para uso do homem. Para Solange, o objetivo principal do encontro é fomentar a implantação dos projetos que promovam a geração de renda no campo da aqüicultura.

Segundo ela, existe um potencial grandioso que não está sendo aproveitado. “O que procuramos trazer foram informações do Ministério da Pesca para as pessoas interessadas na produção, para que eles tenham o conhecimento devido para exercer sua profissão e contribuir com a economia e sua sobrevivência”, afirmou Solange. Para a parlamentar, o objetivo foi cumprido, pois compareceram diversos segmentos governamentais e das classes produtoras.

O secretário de Planejamento e Ordenamento da Aquicultura, Felipe Matias, que proferiu palestra sobre a evolução da aqüicultura no Brasil falou também sobre os procedimentos para implantar a atividade nos resevatórios.

O superintendente federal da Pesca e Aquicultura no Tocantins, Josafá Ribeiro Maciel, informou que, de acordo com dados do Ministério da Pesca, o Tocantins produz apenas cerca de 4,5 toneladas ano de pescado, produção muito aquém de seu potencial. Ele acrescentou que a legislação permite o uso de 1% do lago UHL para a aquicultura. “ Se isso for praticado, a produção elevaria seis veses mais do que a de hoje no Estado”, garantiu.

“Estamos construindo um frigorífico de peixe em Porto Nacional e entregando várias fábricas de gelo e telecentros destinados aos pescadores em diversos município do Tocantins”, ressaltou Josafá.

Prestigiou ainda a audiência pública o presidente da Federação de Pescadores do Tocantins, João Haroldo Gomes, o superintendente Federal da Agricultura no Estado do Tocantins – SFA -, Jalbas Manduca, as prefeitas de Brejinho de Nazaré, Miyuki Hyashida e de Lajeado, Marcia Reis, além de diversos secretários municipais e pescadores.

Fonte: Dicom/AL