Polí­tica

Foto: Divulgação

O jornal paulista Valor Econômico destacou em sua edição de ontem, terça-feira, 24, o favoritismo de José Messias da Caixa (PT) e Donizeti Nogueira, presidente estadual do PT tocantinense como favoritos na corrida pela Câmara Federal no Tocantins.

O jornal mostra que, sem nunca ter eleito um deputado federal desde que foi emancipado de Goiás, em 1988, o PT de Tocantins aposta neste ano na presença partidária nas máquinas públicas de Palmas, capital do Estado, do governo do Estado e do governo federal para ocupar pelo menos duas cadeiras na Câmara a partir de 2011.

Os quatro candidatos a deputado federal do partido participaram durante os últimos oito anos de algum órgão do governo. José Messias de Sousa foi superintendente da Caixa Econômica Federal. Darci Coelho foi secretário de Governo do prefeito de Palmas, Raul Filho (PT), gestão que também abrigou Maria Helena Brito Miranda na Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho e Emprego; e Donizeti Nogueira na Secretaria de Orçamento Participativo.

O Valor Econômico destaca que dos quatro candidatos, José Messias e Donizeti Nogueira são favoritos para amealhar o maior número de eleitores. Gerente da Caixa em municípios tocantinenses há 25 anos, Messias assumiu a superintendência estadual do banco em 2003, mesma época em que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva adentrava o Palácio do Planalto. O jornal afirma que ele aproveitou para, no mesmo ano, filiar-se ao PT e sob sua gestão no banco foram construídas mais de 40 mil casas populares no Estado, o que o ajudou a estabelecer vínculos que hoje podem levá-lo à Câmara.

"Minha candidatura foi se construindo ao longo do tempo por meio dessa rede de relacionamentos com parlamentares, ministérios. Uma interação boa com prefeitos, pois fizemos muitos convênios com eles. Um apoio fantástico do setor da construção civil, tanto dos empresários quanto dos trabalhadores", afirma Messias ao Valor Econômico.

Petista histórico

Já Donizeti Nogueira, um dos mais antigos petistas do Estado foi candidato, sem sucesso, a deputado federal em 1988, estadual em 1990 e a senador em 1994, segundo a reportagem.

Eleito presidente estadual da legenda em 2009, atuou para ter nomes já conhecidos dos eleitores no rol de candidatos, além de ter desenvolvido um forte trabalho junto ao governo federal para alocação de recursos direcionados aos municípios tocantinenses. "Trabalhamos para lançar os nomes com maior densidade eleitoral", afirma Donizeti na matéria.

Neopetistas

As outras candidaturas petistas vêm menos fortes para a disputa, segundo o Valor Econômico. A reportagem afirma que os outros dois correligionários, “são neopetistas que, outrora, estiveram com os adversários”.

Darci Coelho, ex-PP e ex-PFL, era braço direito do homem que já comandou o Estado por três vezes e que, agora, tenta mais uma vez a eleição: Siqueira Campos (PSDB). Em 2009, depois de ajudar o prefeito Raul Filho na composição política de sua campanha à reeleição, filiou-se ao PT. É o candidato preferencial de Raul, mas sua candidatura agrada mais os antigos simpatizantes de Siqueira do que a militância petista.

Já Maria Helena Miranda é tia do ex-governador Marcelo Miranda (PMDB), cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral em 2009 e que atualmente disputa uma vaga no Senado. Em seu governo, exerceu o cargo de secretária do Trabalho e Assistência Social. Ela é também irmã de José Edmar Brito Miranda, que foi secretário de Governo e de Infra-Estrutura de Siqueira Campos. Em 2009, contrariando a vontade dos familiares, filiou-se ao PT.

Confira aqui a matéria na íntegra disponível para assinantes.