Polí­tica

Foto: Heber Fidelis

Depois que a senadora Kátia Abreu (DEM) protocolou uma denúncia-crime envolvendo o prefeito de Fortaleza do Tabocão, João Batista de Oliveira (PMDB), o gestor entrou em contato com o Conexão Tocantins e negou as acusações.

Kátia alegou junto ao Ministério Público Eleitoral e ainda na superintendência da Polícia Federal que o deputado estadual Júnior Coimbra (PMDB) e outros membros do grupo do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB) teriam tentado comprar o apoio do prefeito para o governador.

O valor oferecido segundo a senadora foi de R$ 300 mil. “Nunca aconteceu isso, fiquei sabendo disso através da imprensa, desconheço qualquer fato envolvendo isso”, afirmou o gestor, que afirmou que atualmente ainda está na base do ex-governador Siqueira Campos (PSDB) da coligação Tocantins Levado a Sério.

“Sou da base do Siqueira mas a conversa está bem adiantada com o governo, nunca deixei de conversar com eles”, afirmou, citando que o coordenador de articulação política, Manoel Bueno já conversou várias vezes com ele sobre apoio.

No município, segundo o prefeito, Gaguim tem mais aceitação que Siqueira.

O gestor deixou claro que nunca foi alvo de nenhuma tentativa de compra de apoio para Gaguim nem para qualquer candidato do grupo da Força do Povo.