Polí­tica

O presidente do PCdoB, Nilton Barbosa defendeu, em entrevista ao Conexão Tocantins que os presidentes dos partidos da coligação Força do Povo buscassem um entendimento e orientação da instância nacional das siglas com relação às declarações de apoio de lideranças e candidatos do grupo.

“Isso gera uma confusão para o eleitor, os partido precisam tomar uma providência para não deixar os candidatos do nosso grupos apoiando candidatos do adversário”, afirmou.

O presidente citou o prefeito de Palmas Raul Filho (PT) que para o Senado não apoia a candidatura de Paulo Mourão (PT) e ainda de alguns deputados do PMDB, como Eli Borges e Iderval Silva e o federal Osvaldo Reis que também seguem apoiando o republicano João Ribeiro, candidato à reeleição pela coligação Tocantins Levado a Sério.

“A chapa majoritária está unida são essas manifestações de apoio públicas que geram confusão, precisamos do voto casado”, afirmou.

Fragilidade

Para Nilton, a questão de apoios pode fragilizar o grupo e a candidatura do governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB). “Como é que o ministro Padilha vai defender no horário eleitoral a candidatura de João Ribeiro? Isso não pode, os candidatos do grupo estão é do lado de cá”, pontuou.

O fato do ministro e outras lideranças do PT defenderem a candidatura de João Ribeiro é um dos motivos que, segundo o presidente, demonstra a necessidade de um direcionamento mais integrado.

“As lideranças do PT não podem apoiar a candidatura do outro lado porque eles apoiam a Dilma por conveniência, nós é que estamos com ela”, afirmou.