Polí­tica

Foto: Divulgação

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) continuam julgando as candidaturas questionadas pela justiça eleitoral para este pleito de outubro.

O prazo termina na próxima semana e de acordo com a numeração dos julgamentos o caso do ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) que concorre a uma das duas vagas ao Senado pode ir à pauta ainda esta semana, conforme expectativa da assessoria jurídica da coligação Força do Povo, encabeçada pelo governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB).

Caso os ministros do TSE impugnem a candidatura de Marcelo, baseados no Ficha Limpa, como fez com o candidato ao governo do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PSC), o peemedebista terá três dias para recorrer no Superior Tribunal Federal.

Marcelo continua fazendo campanha junto com os demais membros da majoritária. O assessor jurídico da coligação, Sérgio do Vale, afirmou ao Conexão Tocantins que a defesa espera que, no caso de uma impugnação, o STF, mesmo não tendo prazo fixado para julgar, decida o caso antes do dia três de outubro, data das eleições.

Além do caso de Roriz, por 5 votos a 2, os ministros do TSE negaram semana passada o pedido de registro de candidatura de Jader Barbalho (PMDB), que disputa uma vaga ao Senado pelo Estado do Pará. O político renunciou ao mandato de senador em 2001 e ainda assim os ministros aplicaram a Ficha Limpa.

A argumentação da defesa de Marcelo sustenta que o ex-governador, cassado ano passado por abuso do poder econômico, já cumpriu a sentença e sendo assim não pode sofrer a aplicação da Ficha Limpa.

Bastidores

Como já adiantado pelo Conexão Tocantins, a expectativa em torno do caso predomina tanto no grupo governista como na oposição. No grupo de Gaguim, não é descartada a possibilidade da ex-primeira-dama e esposa de Marcelo, Dulce Miranda (PMDB), substituir o candidato até o dia 30 deste mês, dependendo da sentença do TSE.

O candidato já reafirmou por várias vezes que não há plano B, no entanto, a articulação política já prepara essa alternativa. Caso Dulce seja indicada, deve passar ainda pelo crivo do partido.

Na oposição a expectativa é que uma possível substituição do peemedebista, que tem pontuado tecnicamente empatado nas pesquisas com o candidato João Ribeiro, a candidatura de Gaguim sofra impactos negativos e isso beneficie o grupo.