Economia

Foto: Divulgação

Nesta quarta-feira, 13, os bancários do Tocantins reúnem-se em assembléia, a partir das 18 horas, na sede do SINTEC-TO, em Palmas para discutirem a aceitação ou não da nova proposta de reajuste salarial da categoria feita pela Fenaban – Federação Nacional dos Bancos na última segunda-feira, 11, de 7,5%.

Nova proposta

A Comissão Executiva Bancária Nacional de Negociação - CEBNN/CONTEC, reuniu-se na última segunda-feira, 11, em São Paulo, com as Comissões de Negociação da FENABAN, do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, buscando uma solução para a presente data-base, havendo recebido as contrapropostas já divulgadas.Embora as contrapropostas apresentadas nas mesas de negociação não tenham atendido a totalidade das reivindicações da categoria, especialmente no que se refere à isonomia e abono dos dias parados, entende-se ter havido avanços em relação às contrapropostas anteriores, graças ao maior movimento grevista dos últimos 20 anos.

Abrangência da greve

Em todo o Tocantins são 103 agências bancárias dentre bancos públicos e privados (Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco da Amazônia, Bradesco, Itaú Unibanco, Banco Real, HSBC), somando um total de mais de 1200 bancários. Só na Capital existem 15 agências. A paralisação deste ano somou mais de 50 agências fechadas no interior do Estado e Capital.

Em todo o Brasil os trabalhadores fecharam mais de 8.280 agências nos 26 estados e no Distrito Federal. Esse número representa um aumento de 557 unidades em relação ao dia anterior e ultrapassa em 114% as 3.864 agências paralisadas no início da mobilização, em 29 de setembro. Também foram fechados centros administrativos de todos os bancos.

A greve já é considerada a maior dos últimos 20 anos, superando a de 2009, quando os bancários paralisaram 7.222 unidades no dia de maior pressão do movimento.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ Sintec

Por: Redação

Tags: Banco do Brasil, Fenabran, Sintec