Polí­tica

Foto: Divulgação

O prefeito de Palmas, Raul Filho (PT) conversou com o Conexão Tocantins na tarde desta quinta-feira, 21, quando falou sobre a campanha da presidenciável do PT, Dilma Rousseff e ainda sobre a relação com o governador eleito Siqueira Campos (PSDB).

Raul afirmou que começa a partir de hoje com as reuniões e mobilizando para a campanha da candidata. Para o prefeito mesmo o governador eleito sendo do partido de José Serra (PSDB) a petista deve ser mais votada no Estado. “Acredito que ela pode ter uns 60% dos votos”, frisou.

Relacionamento com Siqueira

Raul, que não apoiou Siqueira no pleito estadual, afirmou que está aberto para ter um bom relacionamento com o tucano. “Um governo civilizado se relaciona bem, quem governa não pode estar fechado”, afirmou.

Lembrando sua proximidade com o senador João Ribeiro (PR), Raul afirmou que é dever dos gestores terem um bom relacionamento institucional. Questionado se sua amizade com Ribeiro pode levá-lo à integrar a base de Siqueira o gestor afirmou que não. “Não acredito que isso seja fator para reaproximação”, disse.

Possível expulsão

O prefeito falou ainda sobre sua situação dentro do partido já que na comissão de ética corre um processo contra ele pelo fato do prefeito ter apoiado Ribeiro para o Senado. “Isso não me assusta”, afirmou.

Raul afirmou que não pretende sair do partido, mas não descartou a possibilidade de ser expulso da legenda. “Eles tem o controle do partido e com certeza podem fazer isso, já fizeram com um deputado”, frisou.

O prefeito garantiu que recorrerá caso a legenda peça sua expulsão. “Eles são fortes e poderosos mas eu não tenho medo”, pontuou.

Na hora certa

O prefeito não quis comentar sobre as mudanças que fará após o segundo turno. “Vou falar sobre isso na hora certa”, frisou o gestor, que garantiu que as movimentações em torno do assunto são apenas internas. O petista confirmou que está fazendo um levantamento das pastas municipais para uma reestruturação.