Educação

Nos últimos dias vinha sendo bastante comentado em Paraíso do Tocantins o fim do projeto da Escola Ambiental Tamanduá Mirim na Serra do Estrondo, que de certa forma se tornou uma referência no quesito educação ambiental informal.

O projeto chegou a ser alvo de monografia por parte dos alunos da Universidade Católica do Tocantins. Depois da notícia do fim do projeto, no último sábado (06), a direção da Escola Ambiental tem recebido diversos telefonemas, e-mails, visitas de empresários, políticos e cidadãos de Paraíso do Tocantins que demonstraram seus apoios em favor da continuidade do trabalho, informou o diretor Cesar Lustosa.

A Escola Ambiental acaba de elaborar o Projeto para o ano de 2011, dividido em parceria com mais 30 empresas locais, entidades de classe e a sua continuidade acontecerá de forma imparcial e sem estar atrelado a seguimento A ou B. Cesar Lustosa reafirmou que o projeto voltará com força total e terá sua sede no mesmo local, Centro de Vivência Ambiental, local construído para servir de porta de entrada da APA Serra do Estrondo (Área de Preservação Ambiental) e da educação ambiental de Paraíso.

Na terça-feira (09) foi protocolado cópia do Projeto na Prefeitura de Paraíso do Tocantins, para conhecimento do prefeito Paulo Tavares e ao mesmo tempo solicitando a parte cabível ao Governo Municipal.

O Projeto

O projeto visa atender aos atuais apelos da Lei Federal de Educação Ambiental Nº 9.795 de 27 de abril de 1.999, da Lei Estadual Nº 1.374 de 08 de abril de 2003 e da Lei Municipal de Meio Ambiente Nº 015/20/11/2006, que trata das ações e práticas educativas voltadas à sensibilização da coletividade sobre as questões do meio ambiente, com enfoque nas questões sociais, culturais e com a missão de ambiente local, regional e nacional.