Saúde

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Tocantins (CRM-TO), o Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins (SIMED-TO) e a Associação Médica do Tocantins (AMT) decidiram em reunião os detalhes do movimento de mobilização pela saúde suplementar do dia 7 de abril, no Tocantins.

As três entidades juntas estarão durante todo o dia 07 visitando os principais espaços de atendimento médico em Palmas: Hospital Osvaldo Cruz, Instituto Ortopédico de Palmas (IOP), Medical Center e Espaço Médico e mobilizando os médicos que atendem nestes espaços.

A mobilização é nacional e no Tocantins os médicos interromperão o atendimento aos planos de saúde no dia 7 de abril e tornarão o ato público através de uma carta aberta à população que será publicada nos jornais falando dos problemas enfrentados pela categoria médica frente às seguradoras e operadoras de plano de saúde.

Na mesma data é comemorado o Dia Mundial da Saúde e a mobilização ocorrerá simultaneamente em todos os estados brasileiros a ideia é paralisar, por um dia, o atendimento prestado às seguradoras e operadoras de plano de saúde, e o grande propósito da ação é alertar a sociedade sobre os riscos de prejuízos à saúde por conta do descaso das empresas do setor com os médicos.

Os motivos da paralisação, explicados na carta aberta elaborada pelas entidades médicas, pontuará as seguintes diretrizes: organizar a luta por reajustes de honorários, com base nos valores da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM), sexta edição; exigir a regularização dos contratos entre operadoras e médicos, conforme a Resolução da Agência Nacional de Saúde (ANS) Nº 71/2004 e promover ações no Congresso Nacional, visando a aprovação de projetos de lei que contemplem a relação entre médicos e planos de saúde.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Simed