Polí­cia

O comando geral da Polícia Militar encaminhou nota respondendo a Associação de Cabos e Soldados com relação às condições de trabalho da corporação principalmente sobre as escalas.

Segundo a Associação, as escalas sobrecarregam alguns militares. Porém a PM informou que os problemas herdados da gestão anterior estão apenas em algumas cidades do interior e estão sendo resolvidos.

A associação salientou que as condições de trabalho são degradantes mas a PM informa que as escalas foram reduzidas.

Os questionamentos com relação ao trabalho dos militares vieram em razão do resultado da ação na última sexta-feira, 1º de abril, que vitimou o trabalhador Everaldo Moraes de Araújo. Um inquérito apura de onde veio os disparos contra a vítima que deixava uma pizzaria no centro da capital.

Veja a nota encaminhada pela PM:

NOTA PMTO

Sobre a nota da Associação dos Cabos e Soldados Servidores Militares do Estado do Tocantins, divulgada à imprensa nesta terça-feira, 05 de abril, no que se refere às colocações da entidade sobre as condições de trabalho dos militares, o Comando Geral da Polícia Militar informa que as escalas de serviço em Palmas, que antes eram de 12 horas trabalhadas por 36 de descanso, atualmente, após entendimento com os militares, passaram a ser de 12 horas trabalhadas por 24 de descanso – quando as 12 horas são no período diurno – e 12 horas trabalhadas por 48 horas de descanso - quando as 12 horas são cumpridas no período noturno.

Informa, também, que o período de folga, nos últimos três meses, tem sido preservado, exceto em situações excepcionais, a exemplo da Operação Carnaval e da Operação em Mateiros – região do Jalapão – no último mês de fevereiro, quando a PM do Tocantins foi coroada de êxito após o desmantelamento da quadrilha que agia no Estado da Bahia.

No entanto, o Comando entende que existem alguns problemas de escalas em algumas cidades do interior, problemas estes herdados de gestões anteriores, e que estão sendo resolvidos pontualmente. Em relação às trocas de serviço, as Unidades Operacionais estão autorizadas a proceder de acordo com suas conveniências.

Por fim, ressalta que o Comando Geral da PM sempre esteve à disposição das associações para quaisquer esclarecimentos, bem como para o acolhimento de sugestões de interesse dos policiais militares do Estado do Tocantins.

Palmas, 05 de abril de 2011