Polí­tica

Aconteceu nesta terça-feira, 12, reunião na Câmara Municipal Palmas entre profissionais do Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS), usuários e os Vereadores para debater a votação da Lei que garante aos usuários do Centro gratuidade nas linhas de transporte coletivo municipais, de autoria do Vereador Bismarque do Movimento.

Segundo o psiquiatra Emílio Fernandes os usuários deixam de fazer o tratamento por não terem como custear a passagem de ônibus e o poder público não possui políticas públicas de inclusão dos usuários de drogas e álcool em tratamento e com transtornos mentais no mercado de trabalho “existia uma bolsa para essas pessoas no município, mais foi cortada” lamenta Fernandes.

Dados da Secretaria Municipal de Saúde afirmam que 70% dos pacientes com transtornos mentais graves, muitos por falta de condições de transporte, abandonam o tratamento. Para garantir a reinserção destes pacientes à vida comunitária, é necessária uma rede de ações com poder público, movimentos sociais e a criação de políticas públicas para a área.

Em Palmas estão em funcionamento o CAPS II que oferece serviços de médio porte e trata de pacientes com transtornos mentais severos e persistentes, que tem capacidade para atender 360 pacientes, entre eles 28 intensivos. E o CAPSad que atende usuários de álcool e drogas, com capacidade para atender 240 pessoas por mês, destas 36 em tratamento semi-intensivo.

Os parlamentares reconheceram a relevância social do Projeto de Lei e estão comprometidos em aprovar a demanda ainda no primeiro semestre de 2011. Estavam presentes na reunião os Vereadores Bismarque do Movimento, Milton Neres, Norton Rubens, Divina Márcia, Ivory de Lira e Valdemar Júnior.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Bismarque do Movimento