Educação

Em reunião realizada nesta quarta-feira, 20, na Secretaria Estadual da Educação (Seduc), representantes de instituições públicas e particulares de ensino superior do Estado, além de membros da Academia Tocantinense de Letras, foram apresentados ao projeto da Feira Literária Internacional do Tocantins (Flit) e afirmaram ao secretário da pasta, Danilo de Melo Souza, que têm total interesse em participaram do evento. Segundo explica Danilo de Melo, toda instituição terá espaço para apresentar propostas de contribuição, e que as decisões serão tomadas de forma consensual.

“Os cursos superiores serão grandes facilitadores durante a Feira, pois poderão promover reflexões práticas sobre diversos assuntos, trocas de experiências, tudo isto a partir de oficinas formativas, palestras ou outras atividades. Precisamos, antes, chegar a um consenso sobre as temáticas, para isto estamos nos reunindo, mantendo o diálogo. Nossa preocupação é com a qualidade do evento, e a participação e o olhar de todas as instituições é fundamental para este processo, pois elas dispõem de vários talentos e podem pensar nas melhores formas de promover a formação continuada dos educadores que vão visitar a Flit, e a produção de um público leitor, que é um dos objetivos da Feira”, esclarece o secretário Danilo de Melo.

De acordo com a diretora da Faculdade Católica do Tocantins, Clarete Itoz, há várias maneiras de engrandecer o evento, e uma delas é com a apresentação de projetos inovadores. “No ano passado, discutimos alguns temas diferentes, dentre eles, as pesquisas em robótica que desenvolvemos. Já para a Flit, vamos pensar em novas oficinas e palestras; além disto, devemos apresentar o nosso projeto de horta comunitária, que pode ser implantado nas Escolas de Tempo Integral. O evento será um momento oportuno para intensificarmos a ajuda que damos ao Estado em relação à promoção do crescimento cultural da população”, aponta Clarete.

Já a diretora de cultura da Universidade Federal do Tocantins, Thaise Nardim, a Feira possibilitará aos acadêmicos mostrarem os trabalhos que têm realizado. “Nós possuímos grupos que estudam as diversidades, e este é o tema do evento. Além disto, há outros alunos que atuam em áreas mais próximas da literatura, desenvolvendo performances de temáticas literárias, culturais. A Flit será um espaço ideal para que eles todos se apresentem”, ressalta Thaise.

Para o diretor da Universidade Norte do Paraná (Unopar), Jorge Luiz Dreher, nenhuma instituição vai querer perder a oportunidade de participar de um evento de tamanha dimensão no Estado. “No ano passado, eu pude visitar o Salão do Livro e gostei bastante dele. Sou de Coritiba, uma capital com 3 milhões de habitantes, e digo que o antigo evento literário daqui já não deixava nada a desejar para o de lá. Entretanto, analisando o que a Flit propõe, observando tudo o que está sendo planejado, tenho certeza que, desta vez, tudo será bem mais grandioso e de uma riqueza cultural muito maior. Vou providenciar a nossa participação, e todos, sem dúvida, farão o mesmo”, afirma Jorge Dreher.


Fonte – Assessoria de Imprensa/Seduc