Polí­tica

Foto: Divulgação Marcelo articula para formar base já em 2012 durante eleições municipais Marcelo articula para formar base já em 2012 durante eleições municipais

Em entrevista ao Conexão Tocantins na manhã desta segunda-feira, 20, o assessor jurídico da coligação Tocantins Levado a Sério, Juvenal Klayber confirmou que, mesmo cassado em 2009, o ex-governador Marcelo Miranda (PMDB) poderá concorrer nas eleições estaduais em 2014.

O advogado, que trabalhou com a coligação do governador Siqueira Campos (PSDB) durante a campanha eleitoral do ano passado destacou que a condenação de Miranda foi com base na Lei Complementar 64/90, que cita um prazo de 3 anos de inelegibilidade a contar do término do mandato em que o condenado estava. No caso de Marcelo, segundo Klayber, como o ex-governador foi cassado em setembro de 2009, esse prazo vai até o mesmo mês de 2012. “Isso foi em razão de a justiça ter optado pela não aplicação da Ficha Limpa nas eleições de 2010”, disse.

Caso a Lei 135, conhecida como Ficha Limpa e complementar da 64/90 fosse aplicada já no ano passado, Marcelo ficaria inelegível por um prazo de até 8 anos, ou seja, só estaria apto para disputa eleitoral em 2018. Isso ainda pode acontecer caso surjam novos processos e condenações por uma corte colegiada contra o ex-governador.

Candidatura ao Senado

Depois das idas e vindas judiciais acerca de sua candidatura ao senado em 2010, o Supremo Tribunal Federal (STF), através de decisão do ministro Luiz Fux entendeu pela condenação de Marcelo Miranda por abuso de poder econômico e manteve a cassação do registro de sua candidatura e sua inelegibilidade por três anos.

Em entrevista ao Conexão Tocantins no princípio do mês, o ex-governador já havia demonstrado sua vontade de concorrer a um cargo nas próximas eleições nacionais e estaduais. De acordo com Miranda, contudo, mesmo sem poder se candidatar, ele se manterá ativo no auxílio de projetos e planos políticos já para a eleição do ano que vem e já avisou: “Sou candidato em 2014”.