Polí­tica

Foto: Divulgação

A decisão sobre a expulsão do prefeito de Palmas, Raul Filho e a deputada estadual Solange Duailibe do Partido dos Trabalhadores ficou para o dia 5 de agosto. “O processo em Brasília não é do jeito que muita gente quer que seja”, salientou o presidente regional do partido, Donizeti Nogueira.

“A comissão vai preparar relatório e depois a executiva vai levar para o diretório nacional discutir o assunto”, frisou. A competência para a decisão é do diretório, segundo o presidente. O prefeito e a deputada foram ouvidos na instância nacional nesta terça-feira, 28, em Brasília assim como membros da direção estadual.

Abertura

Uma fonte do Partido admitiu ao Conexão Tocantins que há a possibilidade de um acordo para resolver esse impasse inclusive com a discussão de uma possível penalidade ao casal. Enquanto isso a expulsão continua suspensa.

A direção nacional teria chamado a cúpula da legenda para encontrar uma saída viável. No entanto, indagado se o diretório estadual tenta conversar junto ao casal para resolver a situação o presidente frisou que tudo continua como no início: “um lado querendo que o outro saia e o outro sem querer sair”, frisou. O acordo estaria, portanto, sendo viabilizado junto aos líderes da nacional.

Durante o próximo mês as arestas podem ser aparadas culminando na permanência dos dois grupos na legenda.

O casal foi expulso no dia 16 de abril do Partido quando o diretório da legenda entendeu que ambos descumpriram as diretrizes do Partido. Desde então os dois punidos tentam através de recurso na instância nacional anular a expulsão. Raul e Solange alegam que não tiveram direito a defesa no processo.

Expectativa

Da cúpula do prefeito Raul Filho (PT) o petista histórico e advogado do prefeito no caso, Célio Moura, frisou ao Conexão Tocantins no final da tarde de hoje que tem certeza da intenção da instância nacional do Partido de “pacificar” a legenda.

Já o líder do prefeito na Câmara, vereador Milton Neris salientou que aguarda o resultado da nacional.