Polí­tica

Foto: Clayton Cristus

Convocar a militância petista para o debate sobre a proposta de expansão do Plano Diretor de Palmas que tramita da Câmara Municipal e discutir o processo eleitoral de 2012. Esses foram os objetivos da Plenária realizada pela Comissão Provisória do Partido dos Trabalhadores de Palmas, nesta terça-feira, 23, na Câmara Municipal.

Após amplo debate, foi consenso que o Partido apresente candidatura própria às eleições municipais de 2012 de Palmas. O presidente da Comissão Provisória de Palmas, Divino Mariosan, abriu as inscrições para que os filiados apresentassem nomes ao legislativo e executivo municipal.

“Nós temos a necessidade e a responsabilidade de termos um candidato do PT às eleições de Palmas”, ressaltou Herlan Torres, vice-presidente estadual do PT, seguido da secretária de Comunicação do Partido Márcia Barbosa, “nós não podemos encolher nesse processo. Estamos trabalhando para ter candidatura própria na maioria dos municípios. Em Palmas, temos que manter o espaço conquistado e sair daqui com nomes”, destacou a secretária.

Três nomes foram aclamados pela militância presente para serem os pré-candidatos do PT às eleições municipais de Palmas: o deputado estadual José Roberto Forzani, o administrador e ex-superintendente da Caixa Econômica Federal, José Messias, e o arquiteto e ex-secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Eduardo Manzano. O nome do líder comunitário Erivelton Santos foi sugerido como pré-candidato a vereador.

De acordo com Divino Mariosan, esse foi o primeiro passo para a construção de um projeto comprometido com a cidade de Palmas, que será discutido amplamente com as lideranças e militância petista. “As inscrições continuam abertas aos companheiros que queiram lançar seu nome como pré-candidato ao legislativo e executivo e assim ajudar a construir um projeto debatido coletivamente e comprometido com os ideais petistas”, ressaltou.

Plano Diretor

O arquiteto Eduardo Manzano fez uma apresentação retratando as implicações sociais e econômicas que o Projeto de Lei para a expansão Plano Diretor trará à Palmas.

Para Manzano, a ampliação do Plano Diretor não irá resolver os problemas habitacionais de Palmas, mas sim, intensificá-los. “Entre os problemas mais urgentes da Capital estão a ocupação territorial desordenada, a desumanização da cidade e a exclusão social. Um dos argumentos da expansão é que haverá lotes mais baratos para a população. No entanto, aprovar o projeto não irá baratear o lote, pois aqueles disponibilizados às classes populares são distantes e sem os equipamentos sociais necessários”, explicou.

O vereador Bismarque também se mostrou contrário ao Projeto. “Eu sou contra, mas os companheiros Milton Neris e Ivory estão se posicionando a favor. Acredito que temos que discutir o problema da moradia e expandir o Plano Diretor de Palmas não irá resolver o problema de mais de 20 mil famílias. É preciso ocupar as áreas desabitadas”, frisou o vereador.

Após várias explanações e questionamentos sobre o assunto, a Plenária posicionou-se contrária a expansão do Plano Diretor, mas totalmente a favor da regularização dos loteamentos irregulares, como é o caso do loteamento Lago Norte. “Viemos aqui pedir força para o Partido na nossa luta. A deputada Amália já apresentou um requerimento solicitando que área do Lago Norte seja doada e regulamentada”, informou Mauriza Silva Santos, representante dos moradores do loteamento Lago Norte.

Outro encaminhamento é que a Comissão Provisória de Palmas irá elaborar uma resolução orientando a bancada de vereadores sobre o posicionamento contrário do Partido frente ao projeto de expansão do Plano Diretor da Capital, sendo a favor da regulamentação dos loteamentos irregulares e ainda da ocupação das áreas desabitadas da Capital.

Participantes

Participaram da plenária, o presidente da Comissão Provisória de Palmas, Divino Mariosan, o vice-presidente estadual do PT, Herlan Torres, a secretária de Organização do PT de Palmas, Maria Vanir, o deputado estadual Zé Roberto, o vereador Bismarque do Movimento, além de representantes do Movimento da Luta pela Moradia, filiados e simpatizantes.

O prefeito de Palmas Raul Filho foi convidado, mas comunicou à Comissão Provisória que não poderia comparecer à reunião. Os vereadores petistas Milton Néris e Ivory Lira também foram convidados, mas não justificaram suas ausências. (Ascom PT)