Polí­tica

Foto: Divulgação Pádua Marques tomou as dores do ex-chefe Pádua Marques tomou as dores do ex-chefe

O ex-chefe de gabinete do ex-governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB), Antônio de Pádua Soares Marques, não gostou nem um pouco de ver seu ex-chefe ser taxado como lunático pelo atual secretário estadual da Habitação do Tocantins, Igor Avelino (PMDB), nesta segunda-feira,17.

Pádua Marques criticou Igor afirmando que o mesmo trabalhou no governo do seu pai Moisés Avelino (PMDB), foi secretário municipal do governo do petista Raul Filho na capital, secretário de Assuntos Estratégicos do governo Gaguim e agora secretário do governo Siqueira Campos (PSDB) e mesmo assim até hoje não conseguiu fazer nada pelo Estado.

Pádua Marques ainda afirmou que Igor Avelino foi presidente do PMDB e deixou o partido definhado no Estado. “Foi presidente do PMDB, deixou uma carta de renúncia dizendo que estava desiludido com política e deixou o partido acéfalo”, alfinetou o ex-chefe de gabinete, que também é peemedebista, se referindo ao momento em que Igor, então deputado federal pelo PMDB, renunciou aos mandatos e foi morar na Austrália.

O ex-chefe de gabinete de Carlos Gaguim ainda afirmou que Igor devia medir as palavras e realizar mais. “Como é que ele chama de lunático um cara que fez tanto pelo Estado em tão pouco tempo?”, indagou o ex-auxiliar de Gaguim.

Segundo Pádua Marques, o ex-governador em apenas um ano de mandato fez estradas, ponte, colocou máquinas para trabalhar e ainda ajudou diversos prefeitos. “Realizou em um ano o que outro governo não fez”, desabafou.

Processo por infidelidade

O aliado do ex-governador Gaguim que também foi secretário geral adjunto do diretório estadual do PMDB que foi dissolvido ano passado por ampla renúncia de seus membros, visando convocar nova eleição para a direção do partido, afirmou que está com um processo montado para entrar no Conselho de Ética do partido contra Moisés Avelino, mas o ex-governador pediu para que não entrasse. “Estou com um processo montado e não dei entrada em respeito ao pedido do Gaguim, a qualquer momento posso protocolar”, disse. O ex-governador Moisés Avelino apoiou na eleição passada o então candidato da oposição, atual govermnador Siqueira Campos.

Segundo Pádua Marques, Carlos Gaguim disse que o partido precisa ficar unido. “Mas eu me senti atingido”, disse.

Atualizada às 09h23 do dia 18-10-11